Tripofobia: o medo excessivo de padrões geométricos

Você já se deparou com formas ou padrões geométricos e, logo em seguida, sentiu um medo ou desconforto irracional? Essa condição é chamada de Tripofobia, em que os indivíduos podem sentir uma repulsa biológica, tanto por situações apresentadas pela natureza como por questões cotidianas.

Apesar de não ser reconhecida oficialmente como um transtorno mental, a Tripofobia consegue ser enquadrada na categoria de fobia específica. Mas isso, apenas quando o medo estiver envolvido ou se ele for angustiante e em níveis excessivos para a pessoa.

Mas o que é fobia?

De modo geral, ela é um tipo de transtorno de ansiedade que provoca medo ou repulsa por animais, objetos, formas, dentre outros fatores. Portanto, as pessoas que vivem com essas sensações ficam num constante sofrimento.

Além disso, a fobia é caracterizada como sendo uma doença psicológica que possui alguns tipos bem comuns. Dentre eles estão: medo de lugares fechados (claustrofobia), medo de dirigir (amaxofobia) e o de altura (acrofobia).

O que a Tripofobia provoca?

Especificamente, a Tripofobia se desencadeia quando a pessoa vê um conjunto de buracos e formas que se assemelham a furos, por exemplo. A partir do momento que o indivíduo olha para algo que tem essas características, alguns dos sintomas que surgem podem ser:

  • Sudorese;
  • Náuseas;
  • Irritações na pele;
  • Ataques de pânico;
  • Desconforto visual, como fadiga ocular, distorções ou ilusões;
  • Angústia;
  • Arrepios;
  • Tremores de corpo.

Ainda não existem muitos estudos sobre a Tripofobia. Mesmo assim, vale destacar alguns objetos e comidas que podem causar o desconforto irracional. Veja abaixo:

  • Favos de mel;
  • Bolhas de sabão;
  • Conjunto de olhos;
  • Vagens de semente de lótus;
  • Cabeça de alho;
  • Morangos;
  • Corais e elementos marinhos;
  • Romãs;
  • Alguns animais, inclusive insetos com pele manchada.

Qual o tratamento indicado?

Felizmente, existem diversas maneiras de começar um tratamento contra esse tipo de fobia. Uma delas é chamada de terapia de exposição que, com o uso da tecnologia, é capaz de utilizar recursos de realidade virtual para uma intervenção mais eficaz.

Seu objetivo é bem simples na teoria: mudar a resposta ou reação do paciente em relação ao objeto e situação que causa agonia e medo. Outra opção disponível recebe o nome de Terapia Cognitiva Comportamental (TCC).

Nesse caso, o tratamento usa a terapia de exposição junto com outras técnicas. Assim, a pessoa recebe um auxílio extra para gerenciar sua ansiedade e evitar que os pensamentos se tornem conflitantes.

Quem também pode colaborar nesse tratamento é o psiquiatra. O profissional pode recomendar medicamentos como betabloqueadores e ansiolíticos. Eles são poderosos aliados para ajudar a controlar e reduzir a ansiedade.

Apoio psicológico

Como a fobia é caracterizada por ser um transtorno de ansiedade, contar com o apoio de um psicólogo é essencial para complementar o tratamento da Tripofobia. É ele que pode te ajudar a passar por essa fase difícil e oferecer uma terapia que contribua para sua qualidade de vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui