Remédio antidepressivo: o que é e para que serve?

Capaz de manter a depressão num nível controlado, os antidepressivos são medicamentos psiquiátricos que podem agir no sistema nervoso central do paciente. Além disso, o remédio é um forte aliado no tratamento da ansiedade, vícios, distúrbios do sono, entre outros.

Com capacidade para equilibrar as funções eletroquímicas do cérebro, o medicamento auxilia muito bem no combate aos sintomas da depressão. Mas ao contrário do que algumas pessoas pensam, os antidepressivos não curam esse tipo de transtorno ou qualquer outro problema.

Por isso, está na hora de avaliar por que você utiliza essa medicação e se ela está fazendo o efeito esperado na sua vida.

Como os antidepressivos funcionam?

Basicamente, a função principal dos antidepressivos é regular a química cerebral, o que proporciona o bom funcionamento das sinapses. Isso contribui para que o indivíduo se sinta mais confortável e estável.

Dessa forma, chamá-los de “pílulas da felicidade” se tornou algo errado porque os antidepressivos não são capazes de provocar esse sentimento. Mas isso também não significa que o paciente esteja condenado a usar esses produtos pelo resto de sua vida.

O tratamento é considerado crônico, ou seja, o consumo é normalmente de um ano. Contudo, pode demorar mais do que o esperado até que o paciente tenha estabilidade suficiente para não depender mais da medicação.

Quem pode tomar o medicamento?

Os antidepressivos abrangem uma série de transtornos e outras situações parecidas, não apenas a depressão como o nome sugere. Veja a seguir quais:

  • Transtornos depressivos;
  • Transtorno bipolar;
  • Transtorno de ansiedade;
  • Transtorno de personalidade e alimentar;
  • Insônia;
  • Tabagismo, alcoolismo e dependência química;
  • Dores crônicas neurológicas.

A forma correta de tomar

O paciente é autorizado a ingerir esse produto apenas com a orientação adequada de um psiquiatra. Ele quem vai dizer a dose do antidepressivo indicada para suas necessidades.

O responsável, provavelmente, irá prescrever uma dose reduzida nos primeiros dias para que seu organismo possa se acostumar. Mas ao longo das semanas, ela será aumentada.

Porém, é importante lembrar que o início e o término do tratamento é feito de forma gradual. Essa opção é aconselhável para evitar problemas como a síndrome de abstinência.

Por que a psicoterapia ajuda no tratamento?

Quando você inicia qualquer tratamento que envolve medicação, a regra é clara: apenas o remédio não é suficiente para trazer melhorias. No caso dos antidepressivos, eles são capazes de regular o fluxo de neurotransmissores no cérebro.

Para complementar, o ideal é investir em sessões de psicoterapia. Um dos principais métodos de tratamento para a depressão pode ser feito ou não com o acompanhamento de antidepressivos.

Quer começar sua terapia? Basta procurar um psicólogo. Este profissional é altamente qualificado para lidar com essa situação. Além disso, você tem o apoio para mudar seus hábitos e identificar as circunstâncias que levam à uma crise depressiva.

Não deixe seu tratamento de lado e considere ele como prioridade para cuidar dos sintomas da depressão.

comecar terapia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *