Janeiro Branco: Como anda seu equilíbrio emocional/mental?

A campanha Janeiro Branco foi criada por psicólogos para alertar sobre a importância de cuidar da saúde mental. O objetivo é acabar com este estigma que prejudica o acesso de quem precisa ao tratamento adequado e que a psicologia é direcionada para loucos. Confira mais sobre o Janeiro Branco no Blog do FalaFreud.

A campanha Janeiro Branco foi criada por psicólogos para alertar sobre a importância de cuidar da saúde mental.
Este é o objetivo da campanha ‘Janeiro Branco’, criada em 2014 e que, hoje, já virou lei nas cidades de Campinas (São Paulo) e Uberlândia (Minas Gerais).
Espalhado por todo o país, semelhante a campanhas como setembro amarelo, outubro rosa e novembro azul, respectivamente alertando para o risco do suicídio, do câncer de mama e de próstata, o projeto busca desvencilhar a ideia de que a psicologia é direcionada para loucos.
O objetivo é acabar com este estigma que prejudica o acesso de quem precisa ao tratamento adequado.

A pessoa acaba ficando com medo de se expor e tenta sozinha, muitas vezes em vão, livrar-se do sofrimento psíquico que a atormenta. Quantas vidas são ceifadas pela depressão atualmente no Brasil e no mundo? Um simples diálogo com o psicólogo ou uma consulta ao psiquiatra poderia evitar isso.
A campanha Janeiro Branco é de caráter humanitário, visando conscientizar as pessoas sobre a importância de cuidar da própria saúde emocional, convidando-as a refletir sobre sua qualidade de vida e como estão desenvolvendo suas habilidades para alcançar uma vida mais feliz, equilibrada, assertiva, resiliente, com maior clareza das reais necessidades.
Numa sociedade assolada pela exacerbação do consumismo, sob a égide do capitalismo cruel, as relações se tornaram frágeis, descartáveis, guiadas pelo ego, pela intolerância, pela substituição imediata de pessoas, num isolamento social crescente, onde pessoas, que mais parecem robôs, vivem coladas às telas seus celulares modernos.
Para a insônia, o batido rivotril; para a dor, qualquer analgésico; para a ansiedade, passa na farmácia e compra um ansiolítico. Geração pílula mágica! E para as causas desses problemas e diminuição do uso de fármacos, qual o remédio? Pouco se pensa no enfrentamento dessas questões, porque isso leva tempo, tem um custo e exige comprometimento com a mudança interior, autoconhecimento, coragem. Quanto ao custo, a questão é controversa, porque facilmente se gasta com subterfúgios, sobretudo nas compras on line, mas não se opta por um tratamento psicológico que pode mudar uma vida.
Por isso, vale refletir sobre a saúde mental. Como vai a qualidade do seu sono, dos seus relacionamentos, da sua vida profissional, do seu lazer, do seu conhecimento, do seu entusiasmo, dos seus projetos para este ano? Quais os sentimentos que dominam sua mente todos os dias? Quais seus medos reais e imaginários? Você se ama? O que vê quando olha no espelho? Como se vê no futuro?
A terapia é um processo rumo à reflexão da vida que levamos, e ao autoconhecimento. A partir do olhar terapêutico conseguimos nos ver melhor, podendo tomar assim as melhores decisões para as nossas vidas. O processo funciona presencialmente, on line ou mesmo via WhatsApp, como é o caso do App FalaFreud. Os procedimentos são os mesmos, onde a escuta terapêutico e o uso de técnicas tem ajudado muita gente a encontrar um melhor equilíbrio emocional. O sigilo é absoluto. Um bom profissional olhará para suas questões sem julgamentos, pré-conceitos, fazendo as devidas ponderações com suporte científico.
Há sempre uma alternativa para se começar uma terapia, sobretudo no mundo tecnológico moderno. Não importa a abordagem, mas sim o alcance do seu bem-estar a partir do processo. Não somente Janeiro, mas todos os meses devem ser brancos, no sentido de que você precisará do seu equilíbrio mental/emocional todos os dias do ano.
– Goretti Lima
Gostou deste conteúdo e quer ler mais sobre Terapia ? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você.

Um comentário em “Janeiro Branco: Como anda seu equilíbrio emocional/mental?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *