4 lições de vida importantes que aprendi em terapia

Jessica Thiefels sempre foi defensora da terapia. E nesse artigo ela fala das lições de vida que aprendeu fazendo terapia.

Estamos muitas vezes tão perto dos nossos problemas e estressores. Falar com alguém do lado de fora é muitas vezes a única maneira de entender tudo.

Ela faz terapia um pouco mais de um ano para trabalhar em uma questão. Após apenas algumas sessões, ficou claro que essa questão não era o que ela achava que era.

Estava agindo como uma capa por muitos anos, mascando problemas que não percebia que tinha.

A cada sessão com sua terapeuta, elas falavam sobre algumas preocupações específicas. No entanto, descobriu que as seguintes quatro lições são realmente aplicáveis em muitas outras áreas da vida.

Faça como Jessica e tente usá-las para trabalhar com problemas próprios.

1- Nem tudo é perfeito

Antes da terapia, Jessica se descrevia como perfeccionista.

No entanto, sessão após a sessão, seu terapeuta percebeu que estava usando demais a palavra “perfeito”, desde quando estava falando sobre o último sábado à noite até o último treino.

Ela estava lutando para alcançar a perfeição em todas as áreas da sua vida, e não tinha percebido isso.

Este tipo de pensamento perfeccionista alimenta diretamente uma mentalidade de preto e branco: se não for perfeito, não é bom o suficiente.

Isso coloca uma pressão extrema sobre você para fazer tudo perfeito, levando a ansiedade e estresse.

É raro que qualquer coisa seja negra ou branca em nossa vida, muito menos perfeita. Trabalhar para superar esse tipo de pensamento alivia um fardo desnecessário. E deixar espaço para erros e tudo o que a vida lhe oferecer.

2- O problema está sempre algumas camadas mais profundas

A raiz de qualquer problema, raramente é o que vemos e sentimos na superfície, dificultando o tratamento sem cavar mais fundo, dentro de nós mesmos:

“Para tudo o que enfrentamos hoje, há uma raiz atrás disso”, disse Celestine Chua, profissional de crescimento pessoal e empresária.

“Compreender a causa raiz é fundamental para resolver nossos problemas. Uma vez que a raiz foi removida, os efeitos serão tratados de acordo. “

Os terapeutas são conhecidos por fazer perguntas como: “Como isso faz você se sentir?”, E por uma boa razão. Essas perguntas ajudam a chegar à raiz do problema.

Nossa primeira resposta raramente é a que contém a chave para a solução.

Ao se questionar, você pode entender o que está acontecendo em sua mente: “Por que eu acho isso? Por que me sinto assim? Por que é a minha primeira resposta?”.  Questione cada resposta até chegar à raiz.

3-Os medos são muitas vezes apenas pensamentos pouco claros

Todos temos medos.Incluindo medo de répteis, insetos, situações sociais, falhas pessoais e falas em público.

Na terapia, Jessica percebeu que muitos dos seus medos não foram claramente “processados”em sua mente. Eles eram mais nuvens ameaçadoras que estavam sobre sua cabeça.

Mas quando colocou um “rosto” e uma descrição para o seu medo, não foi tão ruim assim.

Por exemplo, com o medo de falar em público, ela se perguntou: “O que é tão assustador sobre isso?” Os motivos podem incluir:

  • Eu posso esquecer o que eu preciso dizer.

 

  • Eu posso tropeçar em minhas palavras.

 

  • Eu posso dizer o que é errado.

 

Todas essas são preocupações válidas, mas agora pensem sobre o que aconteceria se esses medos se concretizassem. As pessoas ririam de você? Você ficaria com problemas? Você causaria danos irreversíveis?

Mas no final percebe que essas conseqüências não são suscetíveis de acontecer e que não são tão terríveis como seus pensamentos estão fazendo você pensar que elas seriam.

Em vez de deixar esse medo paralisar você, pergunte-se: Por que estou com medo disso? Qual o pior que pode acontecer? Você pode chegar a conclusão que a realidade não é tão assustadora.

4- Mudanças dão trabalho e levam tempo

A mudança não acontece do dia para a noite.

Aprendemos certos comportamentos e mentalidades durante um longo período de tempo. Alterá-los e mudar os padrões que construímos no nosso cérebro, é um processo longo.

O longo processo da Jessica, envolveu repetição de mantras e hábitos diários que reforçaram as mudanças que estava tentando fazer.

Quanto tempo leva para chegar a um ponto de paz e compreensão é diferente para todos, mas entrar no processo sabendo que levará tempo é fundamental.

Tanto na vida quanto na terapia, essa mentalidade dá espaço para entender os problemas e trabalhar em direção a uma solução.

Jessica mantêm essas lições consigo o tempo todo. Você também pode usá-los para resolver problemas em sua própria vida ou como inspiração para procurar um terapeuta.

Todo mundo tem suas próprias lições para aprender. Talvez seja hora de descobrir a sua.

 

Equipe FalaFreud

FalaFreud é o melhor caminho para a terapia de forma fácil, acessível e conveniente para aqueles que procuram uma vida melhor. Você pode se conectar com um terapeuta do conforto e privacidade da sua casa usando o seu smartphone, baixe o nosso aplicativo em http://www.falafreud.com/ e converse hoje mesmo com um terapeuta.

 

*texto traduzido do site Talkspace

Uma resposta para “4 lições de vida importantes que aprendi em terapia”

  1. Muito legal essa idéia… Não temos tempo ou condições de pagar uma terapia.Sempre me interessei muito por psiquiatria, já me tratei e uso medicamentos.E sempre bom estar lendo , repensando , analisando comportamentos, experiências de outras pessoas.😘

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *