Por que é importante fazer Terapia Sexual?

Nem todos compreendem a fundo a importância de ter uma vida sexual regulada. Mas isso não tem a ver apenas com o ato de fazer sexo. A terapia sexual vai muito além disso, ajudando você a entender fatores que influenciam na qualidade de vida individual ou quando se está num relacionamento.

Esse processo é geralmente conduzido por um profissional da psicologia, com formação na área de sexologia. O sexólogo realiza um trabalho em conjunto com os seus clientes, podendo expandir a perspectiva de diversos assuntos considerados tabus, por exemplo.

Feita com técnicas específicas, a terapia sexual é breve, objetiva e busca resolver o seu problema de forma definitiva e eficaz, evitando assim futuras dores de cabeça. Portanto, abaixo você vai conferir mais questões relacionadas ao tema:

Como é feito o tratamento?

Basicamente, as sessões de terapia sexual duram uma média de 50 minutos cada. Ou seja, ela é flexível e você pode separar uma parte do seu tempo para se dedicar no tratamento indicado. 

Vale destacar ainda que elas são realizadas num ambiente seguro e profissional. No entanto, o que ocorre na prática é uma conversa aberta e sincera entre o psicólogo e seu paciente. Nesses diálogos, é possível falar sobre os mais diversos assuntos. 

E no decorrer da sessão, alguns bloqueios que prejudicam o sexo, vão sendo eliminados. Perceba ainda que quase a maioria dos problemas relacionados ao sexo estão ligados de alguma forma em causas psicológicas e emocionais.

Ao investir nesse tipo de terapia, os antigos bloqueios, ansiedades e medos vão desaparecendo e a vida sexual vai melhorando aos poucos. No entanto, algumas pessoas se sentem inseguras de começar esse tratamento. Um dos motivos é o receio de ter alguma espécie de contato físico. 

Mas fique tranquilo porque o tratamento é comprometido com a integridade física e emocional do paciente. Dessa forma, todas as atividades são feitas por meio de discussões e orientações técnicas. 

Terapia sexual é indicada em quais situações?

A terapia sexual pode ser útil para casais ou indivíduos que tenham dificuldades em uma ou mais das seguintes situações:

  • Disfunção erétil;
  • Libidos irregulares;
  • Baixa excitação;
  • Ansiedade de desempenho;
  • Impulso Persistente;
  • Vício ou compulsão sexual;
  • Viver com alguma DST (Doença sexualmente transmissível);
  • Dificuldade no relacionamento;
  • Dificuldades para atingir um orgasmo;
  • Vaginismo e dispareunia;
  • Saúde reprodutiva;
  • Ejaculação precoce ou tardia;
  • Baixo desejo sexual (falta de libido);
  • Aversão Sexual;
  • Sexualidade no envelhecimento;
  • Sexualidade e Doença;
  • Questões de gênero;
  • Problemas de orientação sexual;
  • Casos agressão sexual ou abuso;
  • Parafilias, sadismo, masoquisto, fetichismo, voyerismo;
  • Zoofilia, coprofilia, clismafilia e urofilia.

Quais são os benefícios?

Não é apenas mais um tratamento como vários outros que existem no mercado. O grande diferencial dessa opção está em eliminar a dor, o incômodo e a insatisfação. Conhecer a real vivência do sexo, como uma atividade íntima, prazerosa e saudável.

Onde encontrar?

A acessibilidade de encontrar esse profissional se tornou cada vez mais fácil. Isso porque os meios digitais vieram para ajudar e você consegue fazer uma sessão através de vídeos consultas, sem se estressar e sair de casa. Vale a pena buscar por um psicólogo especializado nessa área e iniciar seu tratamento.

Ejaculação precoce, como a terapia pode ajudar?

O relacionamento sexual é uma expressão humana que foi além do estritamente biológico, transformando-se em comportamentos que são exigidos nos relacionamentos interpessoais dentro de uma cultura. Assim, o comportamento sexual de controlar a ejaculação para que o casal envolvido na relação tenha prazer foi sendo desenvolvido na história humana. Desta forma, não fazemos sexo para ter filhos, mas para ter prazer e manter um relacionamento de casal.

Os comportamentos humanos para se viver em sociedade precisam ser aprendidos. O aprendizado se dá por ensinamentos a partir dos pais, da família e das outras instituições sociais (escola, religião, grupos de amigos, trabalho). Os primeiros aprendizados de como adultos se relacionam em termos de erotismo ocorrem por imitação de um modelo: os pais. Assim, aprendemos como homens e mulheres devem se aproximar um do outro para terem condições de produzir intimidades. Esse passo é muito importante, pois a criança precisa aprender modelos nos quais se sintam relaxadas e com sentimentos positivos, o que certamente facilitará a atividade sexual.

Quais as causas da ejaculação precoce?

A causa exata da ejaculação precoce ainda é desconhecida, mas os médicos acreditam que fatores psicológicos e biológicos estejam envolvidos nos motivos que levam à ocorrência desse problema.

Alguns fatores psicológicos que parecem estar envolvidos na ejaculação precoce são:

Já os fatores biológicos que podem ser relacionados ao problema são:

  • Níveis hormonais acima do normal
  • Níveis de neurotransmissores acima do normal
  • Atividade anormal do sistema ejaculatório
  • Distúrbios da tireoide
  • Inflamação ou infecção na próstata e na uretra
  • Fatores genéticos
  • Danos no sistema nervoso causados por experiências traumáticas ou cirurgias.

Como a terapia pode ajudar na ejaculação precoce?

A psicoterapia é uma forma de tratamento para se modificar as condições que trazem mal-estar a uma pessoa. Aplicada à sexualidade, e no caso à ejaculação precoce, a psicoterapia tem como objetivo permitir que este homem, neste casal, possa superar o problema da falta do controle sobre a ejaculação. A psicoterapia comportamental foca o problema, considerando o homem e o casal.

O tratamento da ejaculação precoce será mais fácil e mais rápido com a participação do casal nas sessões, como chamamos as consultas semanais de 50 minutos que acontecem nesse tratamento.

Modificar um comportamento pode levar tempo, e mais tempo precisaremos se o problema é mais antigo. Afinal, velhos hábitos não morrem tão facilmente…

No consultório o terapeuta conversará, perguntará como fazem as atividades sexuais e proporá, a cada semana, alterações da interação do casal para que modifiquem o comportamento sexual a fim de que esse homem desenvolva o controle sobre a ejaculação. Serão muitas semanas, vários meses de sessões semanais. Precisam ser semanais, pois com o aumento do tempo entre as sessões o tratamento demora mais tempo e dificulta a modificação dos comportamentos.

É possível, e muitas vezes necessário, que existam sessões individuais com o homem ou com a mulher. Assim, o psicoterapeuta poderá compreender os aspectos emocionais envolvidos nos comportamentos e no relacionamento conjugal.

Muitas das orientações que o psicoterapeuta fará em sessão podem ser encontradas em pesquisas na internet, porém existe um momento adequado para cada técnica ser usada. Fora do momento adequado, a técnica será frustrante e desacreditada pelo não funcionamento. Afinal, não aprendemos a escrever frases antes de escrever as palavras, e estas só aprendemos depois de muitos treinarmos os desenhos das letras. E assim será na psicoterapia para curar a ejaculação precoce.

Se você estiver precisando de ajuda e quiser falar com um dos nossos psicólogos, clique no botão abaixo e faça uma sessão hoje.


Sexo como libertação emocional

O sexo é algo importante para nossa saúde física e mental, mas tudo o que sabemos sobre ele é muito proibitivo, o que gera alguns bloqueios. Saiba mais no Blog do FalaFreud!

O sexo é algo importante para nossa saúde física e mental, mas tudo o que sabemos sobre isso é muito proibitivo. Estamos vivendo uma época de alienação sexual.

Este assunto  foi colocado como tabu e cheio de regras, pela nossa sociedade durante muito tempo.

Sempre ouvimos que não podemos desfrutá-lo como queremos e isso ficou marcado no inconsciente das pessoas.

Algumas vêem o sexo como algo “divertido” mas ao mesmo tempo, tem um lado delas que vê o sexo como algo “ruim“, “errado”, o que gera a culpa.

É compreensível viver esse conflito quando refletimos sobre a educação que recebemos até recentemente, em relação à sexualidade ou às crenças religiosas.  O cérebro se confunde quando pensa no que é certo e o no que é errado. Continue lendo “Sexo como libertação emocional”