Fluoxetina: conheça sua função e efeitos colaterais

Na categoria de antidepressivos existe um medicamento chamado fluoxetina, mais conhecido pelo nome de “pílula da felicidade”. Produzido pelo laboratório Eli Lilly, ele chegou ao mercado em 1986. Desde então tem sido recomendado para diversos tratamentos.

Mas será que você realmente sabe qual é a sua função e as principais contraindicações? É sobre isso que discutiremos logo a seguir:

Qual a função básica do medicamento?

A fluoxetina tem como objetivo agir no cérebro do paciente, o que aumenta os níveis de serotonina. Isso possibilita a regulação do bem-estar, sono, apetite, humor, concentração, dentre outros fatores.

Vale dizer que o remédio atua principalmente em transtornos que provocam o desequilíbrio na produção de serotonina. Entretanto, para que o medicamento tenha o efeito esperado, precisa ser usado diariamente e os resultados se tornam evidentes a partir de duas a seis semanas.

Ele é tradicionalmente administrado em gotas ou comprimidos, além de ser indicado no tratamento para:

Existem efeitos colaterais?

Devido à alteração nos níveis da serotonina, os efeitos colaterais podem surgir nas duas primeiras semanas de uso. Mas é importante citar que esses sintomas são resultados da adaptação pela qual o organismo está passando, o que varia de pessoa para pessoa.

Veja abaixo algumas dessas ocorrências:

  • Irritabilidade;
  • Tremores;
  • Retardo na ejaculação;
  • Dor de estômago;
  • Náusea;
  • Fraqueza;
  • Sonolência;
  • Insônia;
  • Dor de cabeça;
  • Ansiedade;
  • Impotência sexual;
  • Agitação;
  • Perda de apetite;
  • Diarreia;
  • Redução da libido;
  • Nervosismo.

A fluoxetina não é indicada para qual público?

Apesar de oferecer efeitos positivos para alguns públicos, o consumo da fluoxetina só é autorizado por meio de orientação médica precisa. Então se você tem menos de 18 anos, é lactante ou está grávida, deve ter uma recomendação específica antes.

Dentre os casos mais comuns, o remédio não pode ser consumido em quadros de:

  • Diabetes;
  • Arritmia;
  • Cirrose;
  • Doença renal;
  • Crianças com menos de sete anos;
  • Mulheres grávidas ou amamentando (salvo com orientação médica específica);
  • Histórico de convulsões ou epilepsia;
  • Elevada pressão intraocular ou que tenham risco de glaucoma de ângulo estreito agudo.

Ajuda na perda de peso?

Sim. É possível emagrecer com a fluoxetina, porém ela não foi criada para esta finalidade. Mas por causa do controle de ansiedade que o medicamento promove, isso pode ocorrer.

Portanto, não o compre com a intenção de utilizá-lo para esse fim. Inclusive, se consumida de forma equivocada, a fluoxetina pode causar o famoso efeito sanfona ou até mesmo o contrário: engordar.

Avaliação profissional

Como foi dito, o medicamento é recomendado depois de passar por uma criteriosa avaliação médica. Independente do tratamento que o paciente esteja passando, vale destacar que o método pode ser alinhado junto com um tratamento psicológico.

Ao combinar os medicamentos corretos com uma terapia online, por exemplo, você consegue obter resultados mais satisfatórios em relação à sua saúde física e mental. Ter equilíbrio e uma boa qualidade de vida é possível, desde que o paciente possa balancear esses dois lados.

Saiba como ajudar alguém com depressão

A depressão é um problema que afeta muitas pessoas e por isso, é provável que alguém muito próximo da gente esteja sofrendo com esse distúrbio. Mas você sabe como lidar com um amigo que está depressivo? Isso pode não ser uma tarefa fácil, mas seguindo as nossas dicas é possível ajudá-lo.

Se você deseja ajudar um amigo ou um familiar próximo que está com depressão mas não sabe como fazer isso, continue lendo este post, pois explicaremos como lidar com pessoas depressivas. Confira e saiba mais!

Continue lendo “Saiba como ajudar alguém com depressão”