Como ajudar uma pessoa estressada? Veja as dicas!

O estresse está por todo lugar. No trabalho, nas escolas, nas relações…Mas você sabe como ajudar uma pessoa estressada? Confira algumas dicas do que fazer! 

Da mesma forma que nós experimentamos esses sentimentos, isso pode acontecer com nosso(a) parceiro(a), amigos ou familiares. Quando isso acontece, é preciso saber lidar da melhor forma, para que não prejudique o seu relacionamento e torne-o exaustivo. Veja a seguir algumas dicas para como ajudar uma pessoa estressada. 

1.Ouça sem julgamentos e valide os sentimentos da pessoa

Quando estamos estressados e procuramos outra pessoa para desabafar, na maior parte das vezes não estamos buscamos conselhos, mas sim que nossos sentimentos sejam ouvidos e validados.

Portanto, ao ouvir os desabafos da pessoa, seja um bom ouvinte e, principalmente, não tente dizer a maneira correta na qual ele(a) deveria ter agido. Reconheça que somos todos diferentes e cada indivíduo reage ao estresse de uma forma. O importante é ter empatia e saber escutar o outro.

Portanto, se você não sabe como ajudar uma pessoa estressada, a primeira dica é: evite controlar como ela reage ao estresse. Apenas permita que ele se sinta seguro com você; seja um porto na tempestade.

2.Mostre seu interesse em ajudar

Há muitas maneiras de expressar preocupação ou cuidado com o outro. No entanto, às vezes a pessoa pode não querer discutir diretamente o que está incomodando. Porém, isso não significa que você não possa fazer pequenas coisas para mostrar que está ciente dos sentimentos dela e que quer ajudá-la a diminuir o estresse.

Expressar cuidado e preocupação de diversas maneiras pode ter um impacto poderoso na relação e ser muito positivo. Coisas pequenas como preparar uma refeição no final de um dia difícil pode ajudá-la a sentir bem melhor. 

3.Aprenda a identificar o estresse

Nem todo mundo gosta de falar quando está estressado e por isso pode ser importante para você aprender a reconhecer os sinais de estresse que seu parceiro dá. Muitas vezes, isso será sinalizado por uma mudança de hábitos – algo que você será capaz de detectar já que conhece seu parceiro intimamente.

Mudanças nos hábitos alimentares ou de sono, dores de cabeça recorrentes ou dores de estômago, incapacidade de se concentrar ou completar tarefas são algumas das questões que indicam que o estresse pode estar presente. Assim, se você reconhecer alguns desses sinais na pessoa, esteja ciente de que o estresse pode ser a causa.

4.Reconheça que homens e mulheres podem VIVENCIAR O ESTRESSE de formas diferentes

As diferenças em como homens e mulheres lidam com o estresse são generalizadas, é claro, mas é importante reconhecer que essas diferenças podem ajudar você ou o seu cônjuge a identificar quando um dos dois está estressado.

Homens e mulheres costumam reagir de maneira diferente ao estresse devido aos hormônios do estresse. Enquanto as mulheres prestam mais atenção a sentimentos e emoções, os homens costumam mostrar mais interesse em ações. Assim, uma mulher geralmente prefere receber conforto e amor na forma de apoio emocional e retenção. Já o homem é frequentemente mais aberto para receber assistência com atividades ou outras saídas físicas. (Contudo, ressaltamos que isso pode não acontecer dessa forma, uma vez que cada caso é um caso).  

5.Cuide de você antes para poder cuidar do SEU parceiro

Antes de saber como ajudar uma pessoa estressada, é preciso cuidar de si mesmo. Ou seja, antes de tudo, precisamos ter auto-cuidado para sermos fortes o suficiente quando os outros precisarem de nós.

O autocuidado pode vir em forma de exercício físico, meditação e terapia. É importante ter pelo menos uma pessoa fora do seu relacionamento (um terapeuta, por exemplo) para contar sobre o que está acontecendo com seu parceiro. Isso não só vai ajudar a te enxergar os problemas através de uma nova perspectiva, como evitará que você adicione mais estresse aos níveis de estresse já aumentados do outro.

6.Se os níveis de estresse se tornarem incontroláveis, ORIENTE seu parceiro a procurar ajuda externa

Nem você nem o outro podem fazer isso sozinhos. Se o nível de estresse da pessoa estiver prejudicando ou causando altos níveis de ansiedade, é hora de procurar tratamento.

Saiba que todos nós reagimos de maneira diferente ao estresse. Porém, oferecer empatia e cuidado sem julgamento é sempre a melhor maneira de agir quando a pessoa estiver sobrecarregada.

Vale lembrar que, mesmo que você queira aprender como ajudar uma pessoa estressada, nem sempre é possível “salva-la” sozinho. Se as coisas estão saindo de controle, faça a pessoa reconhecer que precisa da ajuda de um profissional. Apresente um plano eficaz para lidar com o estresse e mostre como isso pode fazê-lo se sentir bem melhor.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você!

Fonte:https://www.talkspace.com/blog/2018/04/when-your-partner-is-stressed/

Quem tem uma agenda cheia sabe como pode ser difícil marcar uma consulta e conseguir conciliar seus horários pessoais com o do profissional. Porém, por ser online, fica muito mais fácil para o psicólogo conseguir te atender em horários flexíveis, como, por exemplo, de manhã bem cedo ou até tarde da noite – coisa que em um consultório é bem difícil isso acontecer.

Clique abaixo para baixar o FalaFreud e se conectar com um dos nossos psicólogos por apenas R$159,99 por mês.

Download App

Fim de um relacionamento: Por que o término é tão difícil?

É muito comum que os relacionamentos tenham começo, meio e fim.. mas então por que sofremos tanto quando uma relação acaba? Entenda mais sobre o luto do fim da relação.

O fim de um relacionamento nunca é algo fácil. Mesmo quando as pessoas já esperam pelo fim e não querem mais permanecer numa relação, o término costuma vir acompanhado de sentimentos como tristeza, angústia, medos, etc..Mas por que isso acontece? Por que é tão doloroso terminar um relacionamento?

Luto no término do relacionamento

Quando um relacionamento chega ao fim, é muito comum sentirmos uma sensação de perda, como se uma parte de nós fosse embora junto com aquela relação que se vai, e isso pode ser muito sofrido.

Este período acontece porque nós nos acostumamos com a rotina daquela relação. Isso significa dizer que não necessariamente você sentirá falta da pessoa em si, mas sim dos momentos que compartilhou com ela, dos dias em que tinha alguém para conversar e sair, de ter alguém sempre por perto…

Por que ficamos de luto?

O luto que sentimos após o fim de um relacionamento tem origem nos medos universais – medos que nascem com toda a humanidade e podem aparecer em maior ou menor grau dependendo da pessoa. Eles são acionados quando terminamos um relacionamento.

São três medos universais:

  • Medo do abandono (medo de perdermos alguém)
  • Medo do não merecimento e da auto-estima (medo de não merecer o amor de alguém
  • Medo da confiança (medo de ser traído)

Como superar o fim de um relacionamento

Segundo a terapeuta do FalaFreud, Dayane Fagundes, ao terminar um relacionamento, você deve buscar o autoconhecimento. Assim, você poderá entender os medos e inseguranças que permeiam o fim da relação. Entenda porque aquele relacionamento era tão importante na sua vida e porque o término está te causando tanto sofrimento.

A terapia pode ser uma ótima forma de lidar melhor com o fim de uma relação. Além disso, ela pode fazer com que o término aconteça de forma mais fácil e menos sofrida.

Confira o vídeo sobre o fim de um relacionamento com a terapeuta Dayane Fagundes:

No ​FalaFreud, você pode conversar com um psicólogo com todo o conforto e a segurança de estar dentro de casa. Conheça nossos profissionais!

Como evitar que o “vício no celular” atrapalhe sua relação

É inegável que a tecnologia mudou a forma como nos comunicamos uns com os outros – pense em todas as pessoas do seu passado que você nunca mais interagiria se não fosse pelo Facebook, por exemplo. Porém, ao mesmo tempo que as redes sociais e os apps nos smartphones nos aproximam de pessoas distantes, eles podem ter o efeito oposto com pessoas mais íntimas.

Uma pesquisa feita na Universidade de Baylor, nos Estados Unidos, revelou que o “vício no celular” é de fato prejudicial aos relacionamentos amorosos. O estudo levou em consideração o “phubbing” – o termo é a junção entre as palavras phoning (“falar ao telefone”) e snubbing (“esnobar/ignorar”), o que significa deixar de prestar atenção em alguém por causa do telefone.

Para evitar que o vício no celular atrapalhe sua relação, preparamos algumas dicas importantes que devem ser seguidas; Confira!

Dica 1: Limite seu tempo nas redes sociais

Esteja atento ao seu(sua) parceiro(a) e ao tempo que dedica a ele(a). Passar muito tempo ao telefone, em vez de dar atenção a pessoa que está com você, pode fazer com que ela se sinta sem importância e desvalorizada. Uma boa dica, portanto, é limitar a quantidade de minutos que você passa por dia no telefone.

Dica 2: TENHA MAIS conversas presenciais

Ter uma boa comunicação é fundamental para o sucesso de uma relação. E isso pode não funcionar se a conversa de vocês for apenas virtual e/ou sem transparência. Dedique 15 a 20 minutos algumas vezes por semana para melhorar a comunicação de vocês. É fundamental estabelecer um diálogo onde tudo pode e deve ser conversado abertamente. 

DIca 3: Dê ao outro privacidade e exija a sua também

Não é necessário conhecer todos os detalhes sobre os pensamentos e as atividades diárias do seu parceiro. Sendo assim, evite bisbilhotar os perfis das redes sociais da pessoa procurando encontrar pistas sobre ela. Na maioria das vezes não se trata de esconder, mas apenas manter a individualidade e privacidade em conversas com amigos ou família. Portanto, não confunda não haver segredos entre vocês com privacidade., são coisas totalmente diferentes.

É verdade que as redes sociais são uma ótima forma de se comunicar com todos os tipos de pessoas. Porém, por mais tentador que seja permanecer conectado, saber a hora de se desconectar e curtir sua relação pode ser ainda mais benéfico e evitará possíveis desgastes em seus relacionamentos íntimos.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental Terapia ? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialista para você!

Fonte:https://www.talkspace.com/blog/2015/09/4-tips-to-stop-social-media-from-killing-your-intimate-relationship/