Como viver no presente e ser menos ansioso(a)

Remoer o passado ou se preocupar com o futuro só reforçará sentimentos como estresse, ansiedade ou medo… Em vez disso, experimente viver no presente e veja como você se sentirá mais feliz.

Refletir sobre o passado ou se preocupar com o futuro são atividades comuns e esperadas para qualquer ser humano. Em alguns casos, isso pode ser útil na tomada de decisões. Mas quando nossos pensamentos estão tão longe de nossas ações que não podemos aproveitar o presente, é hora de mudar a maneira como pensamos. Confira dicas de como viver no presente e ser uma pessoa bem menos ansiosa.

Alinhando nosso pensamento com a nossa vida

Como seres humanos, somos naturalmente feitos para pensar. Nós antecipamos problemas. Nos planejamos. Criamos estratégias. Esses comportamentos, portanto, nos protegem de potenciais riscos e nos permitem aproveitar as oportunidades.

Porém, quando esse comportamento se torna exagerado, passamos a tentar controlar tudo que acontece. Isso não apenas nos impede de desfrutar a vida, mas também pode se manifestar através de problemas de saúde a longo prazo.

Por isso, para viver plenamente o presente, precisamos alinhar nossas vidas com nossos pensamentos. Assim, portanto, precisamos saber quando devemos ouvir nossa mente e fazer com que ela nos ajudem.

Quando os pensamentos atrapalham mais do que ajudam

Muitas vezes, porém, nossos pensamentos não só não ajudam como atrapalham. Isso acontece principalmente quando tentamos evitar lembranças ruins ou quando estamos ansiosos a respeito de eventos futuros. Por exemplo, digamos que você esteja ansioso com uma entrevista de emprego que ainda vai acontecer. Mesmo quando você está vivenciando uma situação agradável como ir ao parque ou a praia, você simplesmente não consegue parar de pensar nisso. “E se o entrevistador fizer uma pergunta que não sei responder?”, “E se eu não passar na entrevista?”.

Sua primeira reação é provavelmente tentar não pensar nisso. Você diz a si mesmo para esquecer a entrevista por enquanto e viver no presente. Ainda assim, isso cria o efeito oposto: esse mesmo pensamento que você quer afastar fica na sua mente ainda mais.

Portanto, ao tentar esquecer algo, você só reforça a presença daquilo. É como dizer a si mesmo para não pensar em um elefante rosa; você pensará nele automaticamente…

Assim, em vez de tentar excluir pensamentos, substitua-os por pensamentos positivos. Concentre-se em seu entorno, observe a natureza, feche os olhos e preste atenção aos barulhos a sua volta. Como seu corpo reage a eles? O que você sente quando fecha seus olhos? Escute sua respiração.

Quando você observa e nota pontos específicos em seu ambiente, eles começam a assumir seus pensamentos. Focar na sua respiração ou no que está acontecendo ao seu redor te trará de volta ao momento presente.

Quando é difícil viver no presente e tudo que você quer é esquecer…

Apesar de tentar focar no momento atual e não vagar muito pelo passado ou futuro, viver no presente nem sempre é uma experiência agradável. Você pode estar passando por momento intenso de estresse, dor, culpa, vergonha,…

Se o problema for uma dor que está fora do seu controle, concentrar-se em uma lembrança agradável poderá ajudar até que a dor desapareça. Agora, se você está no controle de uma situação estressante, passe por ela, lembrando-se de que já passou por situações semelhantes.

O problema é que, muitas vezes, nos apegamos desnecessariamente a dor, evocando lembranças dolorosas. Nos pegamos a um arrependimento passado ou nos preocupamos incessantemente com um futuro desconhecido. Mesmo que não haja nada que possamos fazer a respeito, temos dificuldade em nos livrarmos desses pensamentos agonizantes. Assim, só nos sentimos ainda mais ansiosos e culpados.

Você provavelmente já ouviu sobre liberar memórias ruins para remover dores antigas. Isso é, para alcançar um estado de contentamento, precisamos perdoar pessoas ou aceitar eventos que nos magoaram. Com isso, nos esforçamos muito para fazer as pazes com o passado. Mas e quanto a fazer as pazes com o nosso futuro?

Como aceitar aquilo que não temos controle?

Fazer as pazes com o futuro significa desenvolver um senso de serenidade com qualquer resultado que recebamos. Significa compreender que não podemos escolher a forma na qual queremos que as coisas aconteçam – apesar do nosso desejo de moldar o futuro de acordo com os nossos desejos. Significa encontrar paz na incerteza e saber que, às vezes, não sabemos o que vai acontecer, e está tudo bem!

Em vez de insistir nos elementos que estão fora do seu controle, coloque seus esforços naquilo que você pode controlar. O primeiro passo para viver no presente é tornar-se consciente dos seus comportamentos. Para isso, reconheça quando você passa muito tempo remoendo o passado ou ansioso com o futuro. Em seguida, mude gradualmente seu foco de volta para onde você está agora. 

viva o presente e seja mais feliz

Essa não é uma tarefa fácil. Quando seu cérebro está constantemente viajando para outros lugares, é comum esquecermos de viver o momento presente. Ficamos tão focados que nem percebemos o que estamos fazendo.

Porém, reconhecer esse ato é o ponto crucial. É o primeiro passo para uma mudança de comportamento. Sabendo disso, agora você pode praticar voltar seu foco para o presente. Depois de algum tempo, a prática se tornará um hábito. E quando você cria o hábito de viver no momento, você se sente em paz.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você!

Fonte: https://medium.com/@melissachu/focusing-on-the-present-how-to-release-regrets-and-anxieties-6f793931e722

Quem tem uma agenda cheia sabe como pode ser difícil marcar uma consulta e conseguir conciliar seus horários pessoais com o do profissional. Porém, por ser online, fica muito mais fácil para o psicólogo conseguir te atender em horários flexíveis, como, por exemplo, de manhã bem cedo ou até tarde da noite – coisa que em um consultório é bem difícil isso acontecer.

Clique abaixo para baixar o FalaFreud e se conectar com um dos nossos psicólogos por apenas R$159,99 por mês.

Download App

Como se livrar de pensamentos obsessivos

Você sabe o que são pensamentos obsessivos? Entenda porque isso acontece e como evitar que continue ocorrendo.

Os pensamentos obsessivos são aqueles que surgem em nossa mente e insistem em continuar, mesmo quando não queremos que eles apareçam. Normalmente, são pensamentos negativos, repetitivos e indesejados e surgem em forma de preocupações, medos, ou pensamentos ruins.

Entre os exemplos de pensamentos obsessivos vemos:
  • Medo de ficar doente ou que isso aconteça com algum amigo ou familiar
  •  Medo de contrair alguma doença
  • Achar que as coisas estão sempre desorganizadas e ter uma necessidade obsessiva de organização e simetria
  • Preocupação excessiva com pequenas coisas (como trancar a porta, desligar o forno,…)

Esses pensamentos podem atrapalhar a rotina do indivíduo, além de gerar muita ansiedade e angústias. Pensando nisso, preparamos uma matéria sobre o que fazer para acabar com os pensamentos obsessivos.

1. Não tente evitar os pensamentos 

Geralmente, quando os pensamentos intrusivos aparecem, nosso primeiro instinto é sentir algum nível de desconforto. Logo em seguida tentamos banir as visões indesejadas. Esta é a natureza humana: quando algo é ruim, evitamos. O fogão está quente, então não tocamos nele. Simples, certo? Porém, com o pensamento obsessivo é diferente.

Quando tentamos evitar um pensamento em um estado obsessivo, o cérebro continua nos lembrando sobre o pensamento indesejado, para que não nos esqueçamos de parar de pensar nele. É o mesmo princípio básico por trás de quando alguém te diz para não pensar em algo – como, por exemplo, um elefante rosa – nosso próximo pensamento se torna exatamente o que não devemos pensar.

O segredo é que, como todos os pensamentos, o que estamos ruminando não tem significado por si só. Isto é, se você parar de dar importância a esse pensamento, ele diminuirá a frequência até deixar de aparecer. Quando o pensamento aparecer, não dê importância e tenha consciência de que ele é apenas uma construção de sua mente.

2.Dê um nome ao pensamento

Para parar o pensamento obsessivo em sua mente, antes de tudo é necessário identificar esses pensamentos obsessivos, isto é, temos que reconhecer nossos padrões antes de conseguirmos mudá-los.

Quando o pensamento voltar, nomeie-o, entendendo de que forma ele aparece em sua mente. Examine esses pensamentos para entender como eles são acionados e como você está respondendo a eles, ou seja, entenda em que contexto aparece e o que isso significa para você.

Tente identificar a causa por trás dos pensamentos obsessivos para obter alguma perspectiva sobre ele. Se a preocupação, por exemplo, for não receber uma resposta de um amigo ou um possível erro cometido em um teste, pesquise o problema raiz. Isso significa que o problema vai além do que você imagina. Ou seja, se o problema fosse não receber uma mensagem de volta de um amigo, isso poderia significar: “Estou chateado com a forma que meu amigo me tratou da última vez que nos encontramos. Outro exemplo: a ansiedade sobre um teste pode significar: “Tenho medo de fracassar nesta matéria”. Assim, sempre examine as causas por trás do pensamento obsessivo. 

3.Pratique a aceitação

O próximo passo para parar o pensamento obsessivo é a aceitação. Lembre-se de que pensamentos são apenas pensamentos – uma série de neurônios disparando no cérebro, nada mais. À medida que aprendemos a aceitar pensamentos obsessivos, teremos uma chance muito maior de interrompê-los completamente.

Como falamos no item 1, o esforço resultante para evitar ou escapar desses pensamentos acaba aumentando a intensidade que isso acontece, tornando-os cada vez pior.

Portanto, aceitar, em vez de controlar e evitar, é o segredo. Por “aceitação”, não queremos dizer que você deva desistir ou renunciar, mas sim tirar a importância que eles têm em sua vida. Para aceitar pensamentos obsessivos, mantenha sempre sua mente no presente e seja realista sobre o que você faz e o que não tem controle.

Quando você estiver obcecado com o passado ou se preocupando com o futuro, faça a seguinte pergunta: “Posso resolver isso?”. Se a resposta for sim, identifique o que você pode fazer e faça. Se a resposta for não, faça o possível para aceitar o que é.

4.Meditação e Mindfulness

O problema dos pensamentos obsessivos pode estar no desconforto que sentimos por não conseguirmos controla-los, e, para isso, nada melhor do que a meditação. Enquanto você trabalha para desafiar as ruminações, nomeando-as e aceitando-as, usar exercícios de meditação e mindfulness pode te ajudar a acabar com as respostas emocionais negativas.

Mindfulness é o ato de limpar seus pensamentos e focar em como a mente e o corpo se sentem no momento presente. Para isso, a meditação oferece uma série de práticas para nos trazer para o momento presente, o que é um ótimo remédio para a ansiedade.

Quando o pensamento obsessivo entrar em cena, experimente realizar exercícios de respiração profunda, respirando devagar e contando até quatro, prenda a respiração por mais quatro segundos e depois expire para outra contagem de quatro segundos. Além disso, exercícios de aterramento também podem ajudar a quebrar o ciclo de ruminação. Aprecie seu entorno com todos os seus sentidos, identificando, por exemplo, cinco coisas que você vê, ouve, cheira, saboreia. Portanto, esteja presente no momento “agora”.

5.Para obsessões mais graves

O pensamento obsessivo faz parte da natureza humana, contudo, em alguns casos pode ser indicar transtornos mentais. O mais comum trata-se do transtorno obsessivo-compulsivo, porém existe uma série de outros transtornos de ansiedade relacionados. 

Se você está lutando contra pensamentos obsessivos perturbadores e persistentes, procure um terapeuta para facilitar esse processo.

Lembre-se de que nossa mente é um lugar poderoso, e quando conseguimos parar de pensar obsessivamente, aceitando os pensamentos, praticando a meditação e obtendo ajuda da terapia, liberamos espaço para criar algo verdadeiramente surpreendente para nós mesmos.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você!

Fonte:https://www.talkspace.com/blog/2018/06/how-to-stop-obsessive-thinking/