Depressão: o que você precisa saber sobre a doença

Quem já fez terapia sabe a importância que esse processo tem na vida das pessoas. Ela ajuda a mudar comportamentos, pensamentos e emoções, sendo fundamental para o autoconhecimento e bem-estar. Quando se trata de doenças, como a depressão, o processo terapêutico se torna ainda mais importante, pois vai ajudar a pessoa a identificar as crenças e os comportamentos por trás desses estados de humor e ensinar novas formas de lidar com os problemas.

Porém, é preciso entender que existe um conjunto de fatores que precisam funcionar para que seja possível identificar as melhorias que virão com a terapia, como, por exemplo, o empenho do paciente em mudar, o comprometimento que ele terá com a terapia, entre outras recomendações muito importantes, que devem ser seguidas. Veja a seguir o que os terapeutas gostariam que você soubesse sobre a depressão.

1. Não funciona como mágica

Se você acha que apenas começar a terapia já vai ser o suficiente para resolver a depressão, você está enganado. Você precisará participar de forma ativa e se abrir para a mudança. Os terapeutas normalmente pedem que você observe o que desencadeou seus sentimentos de depressão, como seu corpo se sente quando você está deprimido e quanto tempo os sentimentos duram.

2. Você terá que fazer seu “dever de casa”

Seu terapeuta pode lhe pedir para pensar nos pontos positivos da sua vida e fazer algo diferente para começar a ver a mudança. Por exemplo, em vez de se deixar levar por pensamentos negativos, dê um passeio, termine um projeto que você está adiando, faça um trabalho voluntário ou realize alguma atividade que te ajude a interromper o comportamento negativo e os padrões de pensamento.

3. Comprometa-se com a terapia, mesmo quando estiver sem esperança

Durante a terapia esteja determinado a fazer o que for preciso para chegar a um lugar melhor. Normalmente, você e seu terapeuta irão concordar com as estratégias, mas, às vezes, você precisará confiar no trabalho do profissional e se permitir tentar coisas novas.

4. Defina metas específicas

Converse sempre com seu terapeuta sobre o que está funcionando para você e o que não está funcionando. Isso poderá fazer com que vocês encontrem a melhor solução para o seu caso.

5.Não deixe de tomar a medicação

Normalmente, a melhor abordagem para o tratamento da depressão é a medicação junto com a terapia. Se o seu médico lhe passou um antidepressivo, continue tomando a medicação conforme a indicação do profissional, mesmo que já esteja se sentindo melhor.

6. O que você diz na terapia sempre é confidencial

Por lei, tudo o que você compartilha na terapia não será discutido com mais ninguém. Portanto, fique a vontade para falar tudo ao profissional.

7. Deixe a honestidade prevalecer

Sabendo que tudo que é dito na sessão é confidencial, agora você pode falar tudo com o seu terapeuta. Até porque, se você não for honesto com o profissional, não receberá o tratamento adequado e seus sintomas de depressão possivelmente não irão melhorar.

8. Você provavelmente não pode chocar seu terapeuta

Se você está sendo atendido por um terapeuta experiente, será muito difícil chocá-lo.Isso porque esses profissionais são preparados para ouvirem tudo que você tem a dizer e provavelmente já ouviram de tudo…

9. Querer melhorar nem sempre é suficiente

Normalmente as pessoas com depressão querem melhorar. O problema é que as alterações neurológicas depressivas afetam a área do cérebro que controla o comportamento direcionado aos objetivos, o que significa que muitas vezes é difícil para elas fazerem coisas que as ajudem a se sentir melhor. Mas não desista, conforme a terapia for te ajudando, você começará a ver as melhorias em seu dia a dia.

10. Pergunte sempre que tiver dúvidas

Você deve entender o que está fazendo na terapia e ter uma noção de como isso deve ser útil e te levará às mudanças, não apenas durante a sessão de terapia, mas também fora da terapia. Se o seu terapeuta não estiver compartilhando essa informação ou se você não entender alguma coisa, não deixe de fazer perguntas a ele.

Fonte:https://www.everydayhealth.com/hs/major-depression-health-well-being/psychologists-wish-you-knew-about-talk-therapy/

Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise

Quem já vivenciou um ataque de pânico sabe o quanto esta experiência pode ser desagradável, os sintomas físicos podem até ser confundidos com um infarto. Mas existem algumas formas de minimizar as crises. Veja no Blog do FalaFreud como lidar com os ataques de pânicos e entender o que fazer durante esses momentos.

Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise

Quem já vivenciou um ataque de pânico sabe o quanto esta experiência pode ser desagradável. Os sintomas físicos como falta de ar, palpitações, vertigens são tão intensos que podem até ser confundidos com um infarto. Mas existem algumas formas de minimizar as crises. Veja a seguir como lidar com os ataques de pânicos e entender o que fazer durante esses momentos. Continue lendo “Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise”

Como a terapia pode te ajudar a se recuperar de abusos e traumas de infância

Hoje, como adulto, você tem a chance de olhar para o que vivenciou de uma outra forma, mas isso vai exigir um compromisso com o seu próprio crescimento e desenvolvimento pessoal. Confira no Blog do Fala Freud nossas dicas que podem facilitar este processo de cura e autoconhecimento sobre os traumas de infância.

Veja as consequências dos traumas de infância na vida adulta e como superá-los

Se você sofreu algum tipo de trauma ou abuso durante a infância, é bem provável que ainda carregue as marcas do passado. Mas você consegue olhar para o que passou e validar os sentimentos que ficaram?

Muitas pessoas não se sentem preparadas para procurar ajuda terapêutica, pois têm medo de mexer nas feridas do passado. Mas saiba como a terapia pode te ajudar. Continue lendo “Como a terapia pode te ajudar a se recuperar de abusos e traumas de infância”