Estresse: O que é e como lidar com esse sentimento

Você sabe o que é o estresse? Entenda tudo sobre esse sentimento que atrapalha a vida de milhares de pessoas todos os dias

Afinal, o que é o estresse?

O estresse é um sentimento universal, que faz parte da experiência humana. É uma resposta do nosso organismo, que pode ser física ou mental a algum evento considerado importante ou que exija um grande esforço. Normalmente isso acontece quando o indivíduo se sente ameaçado, fazendo com que o organismo libere reações químicas no organismo. 

Dito isso, é importante lembrar que, quando em doses altas esse sentimento pode causar problemas psicológicos e até sintomas físicos, como insônia, ansiedade exagerada, depressão e problemas cardíacos.

Contudo, existem maneiras de responder ao estresse de forma saudável e reverter os sintomas desconfortáveis ​​que surgem com esse sentimento ao longo do tempo.

Porém, é válido lembrar que a maneira mais básica e importante de atenuar o esgotamento é cuidando de si mesmo. Pode parecer simples, mas sua mente e seu corpo estão conectados de forma poderosa e, ao manter suas reservas físicas, emocionais e mentais, você pode prevenir e controlar sentimentos negativos. Confira algumas dicas de como diminuir o estresse do seu cotidiano.

  • Considere diminuir o ritmo 

Às vezes, seu corpo precisa de tempo para relaxar e reabastecer suas reservas de energia. Em vez de assumir mais responsabilidades ou dizer “sim” a um convite, por exemplo, pare e pergunte a si mesmo: “Os benefícios de aceitar esse convite valem o estresse potencial?” Às vezes a resposta será não.

  • Separe um tempo para reflexão

Crie o hábito de escrever seus pensamentos estressantes para tirá-los da cabeça ou mantenha um diário regular com motivos para ser grato e frases positivas. Além disso, tenha tempo para refletir sobre seus sentimentos – isso poderá ter um efeito calmante. Separar alguns minutos por dia para praticar este exercício pode ajudar até mesmo a evitar futuras sensações de tensão.

  • Tire férias

Se você estiver vivenciando um momento estressante, assim que possível, arrume suas malas e faça uma viagem. Separar um tempo para si é extremamente importante para desacelerar o ritmo.

Se não for possível tirar férias, experimente os finais de semana para ir a algum lugar novo. Isso ajudará você a voltar reabastecido, restaurado e pronto para aqueles momentos estressantes.

  • Faça exercícios regularmente

Exercícios físicos ajudam o corpo a reduzir o impacto mental e físico do estresse. Aulas de alta intensidade podem ajudá-lo a eliminar emoções reprimidas, o que pode ter um efeito calmante. Yoga também é outra maneira comum de lidar com o estresse através de movimentos físicos e alongamentos.

  • Tenha contato com a natureza

A natureza tem propriedades curativas e ficar em contato com ela pode ajudar a aliviar o mau humor e acalmar sentimentos de ansiedade. Você pode fazer uma caminhada pelas árvores, dar um passeio tranquilo na praia ou passar um tempo sentado em um jardim, por exemplo…Essas atitudes podem te ajudar a promover uma sensação de paz.

  • Pratique a meditação

Para ajudar a estimular a sensação de relaxamento, tente fazer exercícios de respiração e meditação. Existem aplicativos que podem ajudá-lo a acalmar o corpo e a mente, reduzindo o estresse mental.

Leve uma vida com mais qualidade e menos estresse

Praticar o autocuidado é uma maneira importante de reduzir seus níveis de tensão e ansiedade. Ao fazer isso, você melhora seu sistema imunológico, sua energia e sua qualidade de vida.

Com as dicas acima, você poderá reduzir, e até reverter, os efeitos físicos, mentais e emocionais do estresse – sem contar que serão necessários apenas alguns minutos por dia para obter os benefícios positivos do relaxamento.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental Terapia ? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialista para você!

Fonte:https://www.talkspace.com/blog/2018/07/self-care-stop-stress-secrets/

Depressão: o que você precisa saber sobre a doença

Quem já fez terapia sabe a importância que esse processo tem na vida das pessoas. Ela ajuda a mudar comportamentos, pensamentos e emoções, sendo fundamental para o autoconhecimento e bem-estar. Quando se trata de doenças, como a depressão, o processo terapêutico se torna ainda mais importante, pois vai ajudar a pessoa a identificar as crenças e os comportamentos por trás desses estados de humor e ensinar novas formas de lidar com os problemas.

Porém, é preciso entender que existe um conjunto de fatores que precisam funcionar para que seja possível identificar as melhorias que virão com a terapia, como, por exemplo, o empenho do paciente em mudar, o comprometimento que ele terá com a terapia, entre outras recomendações muito importantes, que devem ser seguidas. Veja a seguir o que os terapeutas gostariam que você soubesse sobre a depressão.

1. Não funciona como mágica

Se você acha que apenas começar a terapia já vai ser o suficiente para resolver a depressão, você está enganado. Você precisará participar de forma ativa e se abrir para a mudança. Os terapeutas normalmente pedem que você observe o que desencadeou seus sentimentos de depressão, como seu corpo se sente quando você está deprimido e quanto tempo os sentimentos duram.

2. Você terá que fazer seu “dever de casa”

Seu terapeuta pode lhe pedir para pensar nos pontos positivos da sua vida e fazer algo diferente para começar a ver a mudança. Por exemplo, em vez de se deixar levar por pensamentos negativos, dê um passeio, termine um projeto que você está adiando, faça um trabalho voluntário ou realize alguma atividade que te ajude a interromper o comportamento negativo e os padrões de pensamento.

3. Comprometa-se com a terapia, mesmo quando estiver sem esperança

Durante a terapia esteja determinado a fazer o que for preciso para chegar a um lugar melhor. Normalmente, você e seu terapeuta irão concordar com as estratégias, mas, às vezes, você precisará confiar no trabalho do profissional e se permitir tentar coisas novas.

4. Defina metas específicas

Converse sempre com seu terapeuta sobre o que está funcionando para você e o que não está funcionando. Isso poderá fazer com que vocês encontrem a melhor solução para o seu caso.

5.Não deixe de tomar a medicação

Normalmente, a melhor abordagem para o tratamento da depressão é a medicação junto com a terapia. Se o seu médico lhe passou um antidepressivo, continue tomando a medicação conforme a indicação do profissional, mesmo que já esteja se sentindo melhor.

6. O que você diz na terapia sempre é confidencial

Por lei, tudo o que você compartilha na terapia não será discutido com mais ninguém. Portanto, fique a vontade para falar tudo ao profissional.

7. Deixe a honestidade prevalecer

Sabendo que tudo que é dito na sessão é confidencial, agora você pode falar tudo com o seu terapeuta. Até porque, se você não for honesto com o profissional, não receberá o tratamento adequado e seus sintomas de depressão possivelmente não irão melhorar.

8. Você provavelmente não pode chocar seu terapeuta

Se você está sendo atendido por um terapeuta experiente, será muito difícil chocá-lo.Isso porque esses profissionais são preparados para ouvirem tudo que você tem a dizer e provavelmente já ouviram de tudo…

9. Querer melhorar nem sempre é suficiente

Normalmente as pessoas com depressão querem melhorar. O problema é que as alterações neurológicas depressivas afetam a área do cérebro que controla o comportamento direcionado aos objetivos, o que significa que muitas vezes é difícil para elas fazerem coisas que as ajudem a se sentir melhor. Mas não desista, conforme a terapia for te ajudando, você começará a ver as melhorias em seu dia a dia.

10. Pergunte sempre que tiver dúvidas

Você deve entender o que está fazendo na terapia e ter uma noção de como isso deve ser útil e te levará às mudanças, não apenas durante a sessão de terapia, mas também fora da terapia. Se o seu terapeuta não estiver compartilhando essa informação ou se você não entender alguma coisa, não deixe de fazer perguntas a ele.

Fonte:https://www.everydayhealth.com/hs/major-depression-health-well-being/psychologists-wish-you-knew-about-talk-therapy/

Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise

Quem já vivenciou um ataque de pânico sabe o quanto esta experiência pode ser desagradável, os sintomas físicos podem até ser confundidos com um infarto. Mas existem algumas formas de minimizar as crises. Veja no Blog do FalaFreud como lidar com os ataques de pânicos e entender o que fazer durante esses momentos.

Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise

Quem já vivenciou um ataque de pânico sabe o quanto esta experiência pode ser desagradável. Os sintomas físicos como falta de ar, palpitações, vertigens são tão intensos que podem até ser confundidos com um infarto. Mas existem algumas formas de minimizar as crises. Veja a seguir como lidar com os ataques de pânicos e entender o que fazer durante esses momentos. Continue lendo “Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise”