Teste: você sabe identificar a depressão e seus sintomas?

Uma doença que vai muito além da tristeza profunda e causa tanto sintomas físicos como psicológicos. Essa é a depressão, conhecida como o mal do século 21 e que se tornou uma questão de saúde pública nos últimos anos.

O transtorno mental afeta o humor do indivíduo e o modo como as pessoas se sentem, pensam ou agem diante de inúmeras situações. E nem sempre é fácil reconhecer quem sofre com essa condição. 

Mesmo assim, o ideal é que esse assunto tenha uma abordagem adequada e seja discutido frequentemente, não só dentro dos núcleos familiares como nos espaços públicos. Exemplos: instituições de ensino, nas empresas, unidades básicas de saúde, entre outras opções.

Teste para identificar sintomas

Antes de iniciar o teste, um aviso importante: este método serve apenas como um indicativo, pois ele não substitui a avaliação médica. Por isso, tenha em mente que é fundamental procurar o profissional indicado para tratar essa doença.

Para auxiliar no teste, você deve associar essas frases com cada tipo de sintoma:

  • Nenhuma vez
  • Dois ou três dias
  • Mais da metade dos dias
  • Praticamente todos os dias

Com que frequência você se sentiu mal por alguns destes problemas?​

  1. Apetite reduzido ou exagerado.
  2. Se sentir mal, por achar que fracassou ou desapontou os seus familiares e amigos.
  3. Problemas de concentração para realizar atividades básicas do dia a dia, como ler notícias ou ver televisão, por exemplo.
  4. Ficar para baixo, depressivo ou sem esperança.

O que você deve observar?

Algumas das situações acima se encaixam no que você sente ultimamente? De acordo com as orientações do Manual de Diagnósticos de Transtornos Mentais (DSM V), ainda precisam ser avaliados outros fatores importantes.

Os mais comuns são o humor deprimido e a perda de interesse ou prazer para fazer as coisas. No entanto, o indivíduo com depressão pode apresentar, normalmente, pelo menos de três a quatro dos sintomas listados abaixo:

  • Perda ou ganho de peso sem estar em dieta;
  • Aumento ou diminuição de apetite;
  • Indecisão ou capacidade diminuída de pensar;
  • Insônia ou excesso de sono;
  • Agitação ou lentificação;
  • Fadiga e perda de energia;
  • Pensamentos de morte recorrentes;
  • Tentativa ou planejamento de suicídio.

Quais são os principais tipos de depressão?

  • Depressão mista: mistura dos sinais depressivos com uma ansiedade intensa. Sintomas como euforia são muito comuns aqui;
  • Depressão melancólica: ideia constante de morrer, inatividade e tédio ficam fortes;
  • Depressão distímica: o estado crônico deixa a pessoa extremamente pessimista e rabugenta. Geralmente, o indivíduo sente uma melancolia leve que não melhora nunca;
  • Depressão psicótica: alucinações e delírios são comuns nesse tipo. Muitos enxergam coisas inexistentes e ouvem vozes dentro da própria cabeça;
  • Depressão maior: uma das mais famosas, seus sintomas são tristeza excessiva, perda de prazer, baixa autoestima e distúrbios de sono;
  • Depressão sazonal: ela aparece em algumas épocas do ano, principalmente em países do Hemisfério Norte, como no outono e inverno;
  • Depressão atípica: aumento do apetite, ganho de peso, sonolência exagerada, sensação de cansaço nos braços e nas pernas.

Como você pode tratar a doença?

A recomendação básica é procurar pela ajuda de um profissional adequado, neste caso, um psicólogo. Ele que dará todo o apoio e suporte necessário para o paciente lidar com a situação. Além disso, dependendo de cada caso, o psicólogo também consegue indicar a pessoa para outros tipos de médicos.

Vale ressaltar que atualmente existem várias maneiras de tratar a depressão. Uma delas é a terapia online em que paciente pode realizar sua consulta sem sair de casa e na hora que desejar. Portanto, se você se identificou com os sintomas do teste ou conhece alguém que também tem, converse com um psicólogo e inicie o tratamento o quanto antes.

O que o ursinho Pooh pode nos mostrar sobre os transtornos mentais?

Em algum momento, seja na infância ou na vida adulta, você já escutou falar do Ursinho Pooh. Inspirado nas obras de Alan Alexander Milne, recentemente o desenho animado tem chamado a atenção do público por um motivo: transtornos mentais.

Um estudo feito pelos pesquisadores na Universidade de Ave (Canadá), mostrou indícios de que cada personagem da animação representa um tipo de transtorno mental.

Apesar de não saber ao certo se essa era a intenção do autor do desenho, vale a pena conhecer melhor esse assunto e a relação que ele tem com a saúde mental. Basicamente, a animação conta com seis personagens principais e falaremos deles, logo a seguir:

Leitão

  • De acordo com o estudo, Leitão é o personagem que representa o transtorno de ansiedade generalizada. Qualquer coisa que possa acontecer, é motivo de alarde e de um comportamento constantemente ansioso. Além disso, ele se assusta fácil com barulhos diferentes e movimentos repentinos.

Bisonho

  • Por outro lado, Bisonho é o personagem que mais demonstra um olhar triste e negativo para a vida. Ele tem depressão, um transtorno mental que dificulta o sentido de emoções positivas como, por exemplo: entusiasmo.
  • Conhecida como distimia crônica, a depressão severa permite que Bisonho fique num estado de mau-humor contínuo. Assim, o desenho mostra que o bichinho chega ao ponto de se sentir confortável com essa tristeza.

Tigrão

  • Outro integrante de Ursinho Pooh é o Tigrão, que ressalta os traços de déficit de atenção e hiperatividade. No tigre é possível notar que ele não consegue ficar parado por muito tempo, mesmo quando precisa descansar.
  • Além disso, você consegue perceber que Tigrão apresenta um transtorno bipolar, o que altera seu humor de muito triste para super alegre em instantes. O personagem também conta com um controle impulsivo.

Abel

  • Organização é o que Abel mais preza em seu dia a dia. Contudo, essa condição marcante se chama transtorno obsessivo compulsivo. Não importa se em algum momento essa atitude incomodar seus amigos, ele vai sempre estar colocando alguma coisa em ordem.
  • Para gastar essa energia, Abel utiliza o tempo para controlar tudo o que está em sua volta. Seja para contar ou recontar, ele sempre está fazendo alguma coisa.

Corujão

  • A coruja que integra o universo de Ursinho Pooh representa dislexia. Isso se torna claro porque Corujão é o único animal da equipe de amigos que sabe ler e escrever.
  • Mostra como as pessoas com esse transtorno mental podem ser muito inteligentes. Contudo, apresentam lentidão e cometem erros na hora de falar ou escrever algo.

Cristovão

  • O ser humano que compõe o elenco principal de Ursinho Pooh é uma criança que tem esquizofrenia. Ele pode ver todos os animais e conversar com eles. Na verdade, acredita-se que todos são frutos da imaginação de Cristovão e representam uma manifestação de seu próprio humor.

Pooh

  • O personagem que dá o nome da animação ama comer mel constantemente. Isso pode indicar que ele tenha transtorno alimentar, déficit de atenção e hiperatividade ou TDAH. Este último é identificado por seus esquecimentos rotineiros, pensamentos desordenados e observações sem sentido completo.

Guru

  • Por fim, o pequeno canguru destaca seus sinais de autismo. Ao longo dos episódios, é normal vê-lo não prestar atenção nos recados de sua mãe e nem no que está acontecendo ao redor. Isso o faz cair em situações perigosas muitas vezes.

A importância de entender os transtornos mentais e tratá-los

Os transtornos citados são conhecidos por serem doenças mentais e distúrbios psiquiátricos, diagnosticados com a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra.

Essas condições podem acarretar anormalidades, comportamentos que causam sofrimento e até incapacidade de ter um dia mais saudável e equilibrado. Dessa forma, é essencial buscar um tratamento psicológico caso você tenha alguns desses transtornos ou se identificou com as características de alguns.

Baleia azul: conheça o jogo e saiba como identificar quem joga

Você já ouviu falar do jogo da Baleia Azul? Este é o nome dado para um conjunto de 50 desafios diários que têm como objetivo, promover situações autodestrutivas em jovens e adolescentes.

Por ser uma prática que já fez vítimas fatais ao redor do mundo, é interessante compreender melhor o que levam às pessoas a participarem desse tipo de jogo, e como você pode identificar quem o pratica. Continue a leitura do texto, logo a seguir.

Continue lendo “Baleia azul: conheça o jogo e saiba como identificar quem joga”

Rivotril: conheça sua função e efeitos colaterais

Popularmente conhecido como Rivotril, o Clonazepam é um medicamento que foi criado para ajudar no tratamento de transtornos psicológicos, neurológicos, ansiedade e crises epilépticas.

Ao proporcionar um relaxamento muscular e tranquilizante, muitas pessoas buscam nele uma forma de resolver algumas condições físicas ou mentais. Mas será que realmente o Rivotril serve para os seus propósitos individuais?

Continue lendo “Rivotril: conheça sua função e efeitos colaterais”

Como a tecnologia afeta a saúde mental das pessoas?

Você acessa os seus dispositivos móveis a todo momento? Esse comportamento é bastante comum atualmente e o uso inadequado de tecnologias tem causado diversos malefícios para a saúde mental das pessoas. 

Por mais que a tecnologia proporcione vários benefícios, como conectar pessoas que estão à longa distância ou disponibilizar informações de forma fácil e rápida, esse recurso pode gerar sérios problemas psicológicos se for usado de forma excessiva.

Portanto a tecnologia pode afetar sim a saúde mental das pessoas e, por isso, é necessário tomar bastante cuidado para utilizá-la da forma correta, de modo que essa proporcione apenas benefícios para a sua saúde. 

Pensando nisso, neste post listaremos os principais problemas gerados pela utilização incorreta da tecnologia e como essa pode influenciar e provocar danos à saúde mental das pessoas. Então continue acompanhando o texto! 

Continue lendo “Como a tecnologia afeta a saúde mental das pessoas?”

Dependência das redes sociais e impacto na autoestima

Vivian Di Croce, psicóloga do FalaFreud, disserta sobre a influência das redes sociais na autoconfiança das pessoas.


As redes sociais vêm tomando cada vez mais importância no cotidiano das pessoas. O tempo médio gasto diariamente no acompanhamento das redes sociais tem crescido a cada ano, chegando até a 3 horas diárias de uso, além do fato de cada vez mais pessoas estarem aderindo às redes sociais diariamente. 

Muitas são as explicações para esse aumento de interesse pelo conteúdo digital, e não cabe aqui a falar de todas elas. Mas venho falar sobre como a exposição às redes sociais pode causar impacto negativo na vida de uma pessoa.

Continue lendo “Dependência das redes sociais e impacto na autoestima”

Saiba como ajudar alguém com depressão

A depressão é um problema que afeta muitas pessoas e por isso, é provável que alguém muito próximo da gente esteja sofrendo com esse distúrbio. Mas você sabe como lidar com um amigo que está depressivo? Isso pode não ser uma tarefa fácil, mas seguindo as nossas dicas é possível ajudá-lo.

Se você deseja ajudar um amigo ou um familiar próximo que está com depressão mas não sabe como fazer isso, continue lendo este post, pois explicaremos como lidar com pessoas depressivas. Confira e saiba mais!

Continue lendo “Saiba como ajudar alguém com depressão”

Whindersson Nunes e a depressão

O youtuber e comediante, Whindersson Nunes, declarou em sua conta do twitter que tem se sentido triste e angustiado há bastante tempo, e por conta disso os seus fãs iniciaram um extenso debate sobre depressão na plataforma.

Diante disso, é perceptível que a depressão pode atingir até mesmo as pessoas que trabalham com comédia, e aparentemente tem a vida perfeita, com bastante fama, sucesso e dinheiro.

Para entender melhor o que é depressão, e como tratar essa doença psicológica, confira a nossa matéria, pois explicamos tudo sobre o assunto.

Continue lendo “Whindersson Nunes e a depressão”

Saiba o que é carência afetiva, seus sintomas e como tratar

Você sabia que muitas pessoas sentem carência afetiva? Isso é o que demonstra diversas pesquisas feitas por instituições renomadas.

A carência tem se tornado cada vez mais comum na vida das pessoas, principalmente por conta do advento da internet, que tem distanciado os indivíduos, de forma a torná-los menos sociáveis.

É possível que você também já tenha tido esse sentimento alguma vez na sua vida, caso já tenha se sentido sozinho em algum lugar mesmo que esse esteja lotado, ou se sentido inferior e desiludido em relação às demais pessoas.

Então, a carência afetiva já fez ou ainda faz parte da sua vida, e você deseja entender um pouco mais sobre o assunto para tratá-lo? Confira a nossa matéria, pois fizemos um guia completo para que possa entender mais acerca desse problema tão recorrente nos dias atuais.

Continue lendo “Saiba o que é carência afetiva, seus sintomas e como tratar”

Sintoma de depressão que quase ninguém fala; fique atento!

Apesar de nem todo mundo saber, a raiva é um sintoma de depressão que aparece com muita frequência.

Muitas vezes as pessoas associam depressão com tristeza, choro, solidão ou uma combinação de todas essas coisas. No entanto, existe uma emoção que é frequentemente negligenciada como um sintoma de depressão: a raiva.

É claro que nem toda raiva é um sintoma de depressão. Porém, quando o sentimento é constante, pode ser um sinal do transtorno. “Nem sempre parece depressão, mas é”, disse Marianna Strongin, psicóloga clínica licenciada em Nova York, ao HuffPost.

Ainda segundo a psicóloga, os pacientes buscam a terapia para lidar com uma raiva frequente, porém, durante o processo muitas vezes descobrem que aquele sentimento na realidade é um sintoma de depressão.

Homens com depressão normalmente apresentam mais esse sintoma

Embora o Instituto Nacional de Saúde Mental estime que cerca de 16 milhões dos adultos americanos que vivem com depressão sejam mulheres de 18 a 25 anos, Sherry Benton, psicóloga da Flórida, diz que tipicamente homens apresentam sintomas enraizados na raiva.

“Normalmente, pessoas deprimidas tendem a se afastar dos amigos e familiares”, disse ela. “Com isso, portanto, vem a necessidade de se afastar das relações com os outros, mesmo aqueles que são saudáveis. A raiva é um sintoma secundário para isso, já que atacar é geralmente um método eficaz de afastar as pessoas ”.

Assim, o primeiro passo para reduzir a raiva e tratar a depressão é pedir ajuda. “Nunca é só raiva.. “, explicou Strongin. “É sempre simbólico que algo não está funcionando bem”.

Depressão ou tristeza? Veja como diferenciar no blog do FalaFreud

FalaFreud

Quem tem uma agenda cheia sabe como é difícil marcar uma consulta e conciliar horários pessoais com o do profissional. Porém, por ser online, fica muito mais fácil para o psicólogo conseguir te atender em horários flexíveis. Você pode, por exemplo, fazer terapia de manhã bem cedo ou até tarde da noite – coisa que no consultório é bem difícil de acontecer.

Clique abaixo para baixar o FalaFreud e agendar sua primeira sessão.

 

Fonte: https://www.huffpostbrasil.com/entry/depression-anger-symptom_us_5c5858d0e4b087104755e3d1