Benefícios do exercício físico na depressão

Especialistas apontam os benefícios do exercício físico na depressão e na ansiedade; Confira.

Você com certeza já ouviu falar que praticar atividade física faz bem para a saúde. Mas e quando se trata de depressão ou de ansiedade exagerada? Segundo especialistas, o exercício físico, quando feito regularmente, tem o potencial de aliviar e até curar os sintomas de muitas doenças, inclusive de transtornos mentais. Confira os benefícios do exercício físico na depressão e na ansiedade.

O poder da endorfina

Após realizarmos uma atividade física, nosso corpo libera uma grande quantidade de endorfina. Esse hormônio traz a sensação de bem-estar, alívio e disposição para o organismo.

Este hormônio está muito relacionado aos benefícios do exercício físico na depressão e na ansiedade. Isso porque, de acordo com um estudo da Universidade de Toronto, indivíduos que praticam atividade física de 20 a 30 minutos por dia podem afastar a depressão a longo prazo.

A dica é escolher uma atividade ou um esporte que você goste de fazer. Assim, por exemplo, você pode praticar dança, corrida ou musculação e fazer disso uma parte regular de sua rotina. Dessa forma, o exercício não apenas ajudará no tratamento, mas como diz o estudo, ajudará a prevenir a depressão.

Redirecionando a energia

Apesar de somente o exercício não ser o suficiente para substituir o uso da medicação ou a necessidade de assistência profissional, praticar atividades pode diminuir consideravelmente o excesso de ansiedade no corpo. Portanto, da próxima vez que estiver ansioso, tente fazer uma caminhada, por exemplo.

A experiência do nadador Michael Phelps

Michael Phelps é um nadador americano, considerado um dos melhores do mundo. O vencedor da medalha de ouro olímpica, ao revelar para o mundo a respeito do caso de depressão que enfrentou, mostrou as importantes conexões entre exercício físico e depressão.

É importante ressaltar que o exercício físico sozinho não é uma cura para o transtorno mental. Porém, quando aliado à medicação e / ou psicoterapia, a atividade física pode trazer muitos progressos em direção a melhores resultados de saúde mental.


Todo cuidado é bem-vindo!


Se você sofre de depressão ou ansiedade exagerada, lembre-se de que por mais desafiante que esse momento possa parecer, sempre existirá um caminho para superá-lo.

Mesmo que aliar o exercício físico om o tratamento médico não esteja te trazendo resultados rápidos, lembre-se de que essa prática poderá elevar o seu estado de espírito e te fornecer motivação extra para lutar contra o transtorno. Mesmo que o exercício sozinho não seja uma cura, se ele faz você se sentir melhor, então vale a pena.

Viver com ansiedade ou depressão, ou ambos, não é fácil. Se você sofre de um transtorno mental, sabe o quanto isso pode ser difícil. Embora não seja uma cura, o exercício pode ser outra arma na batalha contra a depressão e a ansiedade.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você

Fonte:https://www.talkspace.com/blog/2018/12/does-exercise-help-depression-and-anxiety/

Quem tem uma agenda cheia sabe como é difícil marcar uma consulta e conciliar horários pessoais com o do profissional. Porém, por ser online, fica muito mais fácil para o psicólogo conseguir te atender em horários flexíveis. Você pode, por exemplo, fazer terapia de manhã bem cedo ou até tarde da noite – coisa que no consultório é bem difícil de acontecer.

Clique abaixo para baixar o FalaFreud e agendar sua primeira sessão.

FalaFreud na mídia: “App de terapia brasileiro agora tem videochamadas”

Usuários poderão interagir com terapeutas em vídeos para interpretação de linguagem corporal e aumento de empatia

São Paulo — O aplicativo brasileiro de terapia FalaFreud ganha nesta semana suporte para videochamadas. O recurso era um dos mais aguardados por seus usuários e permite que o terapeuta possa avaliar sinais não verbais, como a linguagem corporal do paciente virtual.

A novidade, disponível nos aplicativos para Android e iPhone, também altera os planos oferecidos pela empresa atualmente. Antes, havia somente um plano, com mensagens de texto a qualquer hora do dia para terapeutas, cujo custo era de 300 reais ao mês. Agora, também há uma opção de 339 reais que dá ao assinante a possibilidade de fazer uma chamada de vídeo por mês, com duração de 45 minutos. Sessões em vídeo adicionais poderão compradas por meio do pagamento adicional de 75 reais cada.

A empresa responsável pelo FalaFreud conta que o novo aplicativo foi criado praticamente do zero para evitar problemas de desempenho, em especial, nos dispositivos Android. Na Google Play Store, é possível encontrar diversas reclamações dos usuários quanto ao desempenho e também ao preço cobrado pela assinatura do app.

Yonathan Yuri Faber e Renan Pupin são os fundadores do FalaFreud e enfrentaram resistência do Conselho Federal de Psicologia e de profissionais da área por se posicionarem como uma empresa que conectava pacientes a psicólogos. Faber conta que isso acabou desde que a companhia decidiu ampliar seu escopo de atuação de psicólogos para terapeutas.

Em entrevista a EXAME.com, Faber conta que o aplicativo cresceu 20% ao mês nos últimos meses, em termos de usuários, e que já surgiram diversos cadastros no CFP de sites de psicólogos e empresas que desejam oferecer terapia online. No total, são mais de 700 que apareceram recentemente.

Entre os rivais, se destaca o Luzz, que tem proposta parecida com a do FalaFreud, com assinatura mensal de 369 reais.

Em 2014, Faber tentou lançar no Brasil um aplicativo de caronas pagas muito semelhante ao Uber, o Zaznu, mas ele não deu certo. “Com o Zaznu, nós perdíamos dinheiro a cada corrida. No FalaFreud já conseguimos ter lucro”, declarou Faber.

O próximo passo do aplicativo agora é ir atrás das empresas para oferecer seu serviço de atendimento via aplicativo–e as chamadas em vídeo são cruciais para isso, na visão de Faber. Fora isso, o FalaFreud segue em busca de aumentar sua base de clientes. Com o código promocional EXAME, novos usuários do app ganham 50 reais de desconto na mensalidade.

Matéria originalmente publicada na Revista Exame

Como aconselhar uma pessoa com problemas? Confira dicas

Você sabe o que falar na hora de aconselhar uma pessoa com problemas? Existem algumas atitudes que podem tornar sua ajuda muito bem-vinda; Confira!

Todos nós enfrentamos momentos na vida em que nos sentimos inconsoláveis. Seja por perder o emprego, vivenciar algum luto, terminar um relacionamento, etc.. Independente do motivo,essas situações podem ser dolorosas não só para quem está vivenciando, como também para quem está do outro lado, vendo o amigo ou familiar desolado e querendo ajudar, mas sem saber como. Mas, então, como aconselhar uma pessoa com problemas? 

Descubra como aconselhar uma pessoa com problemas

Por definição, alguém inconsolável não consegue aceitar ou receber consolo. Por essa razão, pode ser difícil saber como agir, mesmo quando você quer desesperadamente ajudar. Embora cada situação seja diferente – e você precisará entender o que funciona com a pessoa e o que não funciona – existem algumas dicas gerais que podem tornar a sua maneira de consolar mais eficaz e bem-vinda.

  • Não diga nada, apenas OUÇA com atenção

Às vezes – especialmente quando alguém está sentindo uma tristeza profunda – a melhor forma de consolo é oferecendo sua presença. Um ouvido que não julga, apenas escuta. Alguém que vai “estar lá” enquanto a pessoa desabafa.

  • Tenha empatia PELO OUTRO

Se a pessoa permitiu que você estivesse presente com ela em um momento difícil, é porque ela confia em você. E um dos maiores presentes que você pode oferecer a ela agora é empatia.

Mesmo que você não esteja passando pela mesma experiência, mas deseja saber como aconselhar uma pessoa com problemas, você pode se lembrar de momentos em que se sentiu desse jeito. Ouça o que ela tem a dizer, isso validará os sentimentos dela e depois adicione sua perspectiva sobre o assunto.

Se a pessoa perdeu um membro da família, por exemplo, em vez de dizer: “Eu sinto muito pela sua perda”, considere falar que você entende a dor que ela está sentindo no momento e sabe o quão devastador pode ser esse sentimento.

Nunca diga para a pessoa não ficar triste, pois tristeza é um sentimento comum aos seres humanos. Portanto, existem certos momentos que precisamos nos permitir sentir essa dor para que ela passe. 

  • Pergunte o que você pode fazer para ajudar

Você pode ter um milhão de ideias sobre como aconselhar uma pessoa que está com problemas, e isso é muito gentil, porém, pode não ser exatamente o que a pessoa precisa. Quando alguém está inconsolável, é difícil ouvir as ideias dos outros. As opiniões alheias tendem a parecer julgamentos e podem ser difíceis de ouvir. Em vez disso, transforme seus pensamentos em perguntas.

Por exemplo, se você acha que seu ente querido se sentiria melhor se desse um passeio na rua, diga: “Você acha que há alguma atividade que poderíamos fazer hoje que possa lhe trazer algum alívio?” Dessa forma, a pessoa sentirá que está no controle. Lembre-se de respeitar o tempo do outro e entender, caso ela não queira fazer nada naquele momento.

  • Se mantenha positivo

Por um lado, você quer lembrar a pessoa que “isso também passará”, mas você também não deve fazer com que ela sinta que os sentimentos dela não estão sendo validados. Por isso, em vez de dizer, por exemplo: “Você se sentirá melhor amanhã”, você pode considerar algo como “eu sei o quanto você está sofrendo hoje. Amanhã é um novo dia e espero que você experimente algum alívio em breve”.

  • Recomende um terapeuta

Agora que você já sabe mais sobre como aconselhar uma pessoa com problemas, não se esqueça da importância da terapia!

Se a pessoa estiver inconsolável a ponto de se não se preocupar mais com o bem-estar dela ou se demonstrar sinais de risco para si mesma ou para outras pessoas, não hesite em intervir e fazer com que ela receba ajuda de um profissional imediatamente. 

Além disso, outro ponto de atenção é quando os sentimentos de tristeza  durarem além de um período de tempo razoável.  Você pode sugerir ajuda profissional através da terapia – O FalaFreud é uma ótima possibilidade, uma vez que a pessoa poderá fazer terapia online, sem precisar sair de casa. 

Fonte:https://www.talkspace.com/blog/2018/08/what-to-say-to-someone-when-theyre-inconsolable/#more-10578

Quem tem uma agenda cheia sabe como pode ser difícil marcar uma consulta e conseguir conciliar seus horários pessoais com o do profissional. Porém, por ser online, fica muito mais fácil para o psicólogo conseguir te atender em horários flexíveis, como, por exemplo, de manhã bem cedo ou até tarde da noite – coisa que em um consultório é bem difícil isso acontecer.

Clique abaixo para baixar o FalaFreud e se conectar com um dos nossos psicólogos por apenas R$159,99 por mês.

Download App

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental Terapia ? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialista para você!

As 8 dúvidas mais comuns sobre antidepressivos

É impossível negar a importância dos antidepressivos no tratamento contra a depressão. Porém, ainda é comum que algumas pessoas tenham receios e inseguranças quanto ao uso do remédio. Aqui no Blog do Fala Freud preparamos uma lista com as dúvidas mais frequentes das pessoas sobre os antidepressivos. Clique e confira !

Tem algum receio sobre antidepressivos? Veja as questões mais comuns sobre o assunto e responda suas dúvidas

É impossível negar a importância dos antidepressivos no tratamento contra a depressão. Não é a toa que 67% dos indivíduos deprimidos utilizam o medicamento como forma primária de tratamento, como apontam os dados da National Alliance on Mental Illness (NAMI).Porém, ainda é comum que algumas pessoas tenham receios e inseguranças quanto ao uso do remédio e seus riscos.

Para te ajudar a responder essas questões, preparamos uma lista com as dúvidas mais frequentes das pessoas sobre os antidepressivos. Mas lembre-se sempre de consultar um profissional e verificar o que é melhor para o seu caso. Continue lendo “As 8 dúvidas mais comuns sobre antidepressivos”

Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise

Quem já vivenciou um ataque de pânico sabe o quanto esta experiência pode ser desagradável, os sintomas físicos podem até ser confundidos com um infarto. Mas existem algumas formas de minimizar as crises. Veja no Blog do FalaFreud como lidar com os ataques de pânicos e entender o que fazer durante esses momentos.

Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise

Quem já vivenciou um ataque de pânico sabe o quanto esta experiência pode ser desagradável. Os sintomas físicos como falta de ar, palpitações, vertigens são tão intensos que podem até ser confundidos com um infarto. Mas existem algumas formas de minimizar as crises. Veja a seguir como lidar com os ataques de pânicos e entender o que fazer durante esses momentos. Continue lendo “Ataque de pânico: veja o que fazer e como se acalmar durante uma crise”

A terapia online no FalaFreud é confiável ?

O FalaFreud foi lançado oficialmente em 20 de outubro de 2016, até então nenhuma empresa ou startup havia atingido uma quantidade expressiva de pessoas em busca de fazer terapia online no Brasil, em 2016 esse conceito ainda era pouco explorado pelos profissionais de psicologia no Brasil.

Lançado oficialmente no dia 20 de outubro de 2016, o FalaFreud trouxe uma enorme inovação ao conceito de terapia online.

Até então, não havia no Brasil nenhuma startup ou empresa que tivesse atingido um número tão expressivo de usuários fazendo terapia online, mostrando uma necessidade pouco explorada pelos profissionais de Psicologia até aquele momento.

No dia 7 de novembro de 2016, a Revista Exame publicou em seu site uma matéria sobre o FalaFreud (Confira a matéria na íntegra), mostrando aos brasileiros que agora seria possível conversar com um psicólogo através do aplicativo, de forma muito mais prática e acessível, sem precisar sair de casa para fazer terapia. Continue lendo “A terapia online no FalaFreud é confiável ?”