“Por que não consigo me concentrar”? Veja como se manter focado

É inegável que, atualmente, com a quantidade de estímulos visuais que temos ficou muito mais difícil se concentrar. Mensagens no celular, ligações telefônicas, televisão ligada, tudo isso atrapalha a nossa capacidade de nos mantermos focados em uma única atividade.

Isso fez com que a procura por médicos e especialistas no assunto crescesse consideravelmente. Mas será que existe uma forma de se manter focado por mais tempo? Veja a seguir como aumentar sua concentração.

Por que é tão difícil se concentrar?

Para entender nossos problemas modernos de concentração, é importante prestar atenção em como nossos cérebros mudaram nos últimos milênios. Para fins de sobrevivência, nossos antepassados ​​precisavam prestar muita atenção em qualquer coisa que se movesse rapidamente ou parecesse desconhecida. As razões para essa concentração eram simples: se algo fosse rápido, poderia te matar. Se fosse novo, poderia ser perigoso.

Mas no mundo atual, as tecnologias e informações novas cada dia nos expõe a milhares de distrações. Pense em todas as coisas que prendem sua atenção todos os dias: as animações envolventes de um comercial de televisão, o enorme número de conversas em um restaurante, os alertas constantes iluminando a tela do seu celular.

No passado, essas novidades teriam sido empolgantes e atraentes para nossos cérebros. Agora, são apenas mais um pontinho no nosso radar mental.

Os seres humanos aplicam diferentes níveis de atenção e concentração, dependendo da situação em questão. Nossas tarefas mais gratificantes e agradáveis ​​são aquelas que exigem a concentração mais intensa e atenção sincera.

Porém, apesar de ser mais difícil, não podemos apenas colocar a culpa na tecnologia. Precisamos nos responsabilizar e assumir o comando para manter a concentração por mais tempo. Veja algumas dicas para te ajudar neste processo

Encontre alguém para compartilhar sua produtividade diária

O primeiro passo para melhorar sua concentração é encontrar alguém que possa te ajudar a cumprir suas tarefas diárias e, em seguida, confirmar sua produtividade.

Tente enviar sua lista de tarefas por e-mail para essa pessoa (pode ser um amigo de confiança, um parente, etc) no início do dia e, em seguida, envie-as novamente no final do dia para que ele saiba o que você concluiu. Ou simplesmente fale sobre o seu dia de trabalho com o seu cônjuge pela manhã e depois revise todas as tarefas que você conseguiu completar.

Saber que você precisará prestar contas de suas atividades no final do dia pode te dar motivação para realizar tarefas desafiadoras, mesmo quando elas parecem infrutíferas.

Durma o suficiente

Nunca é demais para lembrar o quanto uma boa noite de sono pode te tornar uma pessoa mais produtiva. Você ficará surpreso como vai ser muito mais fácil permanecer motivado, focado e produtivo durante todo o dia de trabalho.

Pesquisadores do sono descobriram que a privação do sono destrói o estado de alerta do indivíduo e, consequentemente, sua concentração. É muito mais difícil prestar atenção a tarefas importantes se você estiver lutando para manter os olhos abertos. Quando você está se sentindo cansado, seu raciocínio lógico e a resolução de problemas deixam de existir.

Concentre-se em uma única coisa com a meditação

Provavelmente já lhe disseram que meditar pode te ajudar a manter o foco e concentração por mais tempo. Muitas pessoas tentam essa antiga prática, mas rapidamente se desencorajam por achar que não vão conseguir. Este equívoco geralmente surge porque não temos conhecimento do quão poderoso esse hábito pode ser em nossas vidas.

Tente se concentrar nessa ação mental por um minuto, depois cinco minutos e depois quinze. Observe sua mente vagando… Não desista imediatamente nem ache que a tentativa foi um fracasso. A distração temporária é simplesmente um sinal para você, gentilmente, direcionar sua mente de volta ao objeto de sua meditação. Deixe o novo pensamento passar pela sua mente, mas não o siga. Você verá como essa prática se tornará mais fácil e instintiva conforme for praticando.

Organize seu ambiente de trabalho

Você pode não acreditar, mas uma decisão tão simples como organizar seu ambiente de estudo ou trabalho pode revolucionar completamente seu foco e atenção.

Ao falar “organizar seu ambiente”, isso não significa apenas remover toda a desordem da sua mesa, embora as distrações físicas sejam um grande impedimento à concentração. Ao falar em distrações, entenda como todos os tipos de desordem sensorial.

Isso inclui música em seus fones de ouvido, conversas barulhentas na mesa ao lado da sua, alertas de mensagens de texto em seu smartphone e ligações de amigos ou familiares.

Pode parecer impossível livrar-se de todos esses tipos de desordem, mas tudo o que você precisa fazer é eliminar as maiores distrações e estabelecer alguns limites sensatos para seus padrões de pensamento. Aqui estão alguns passos práticos que você pode seguir:

Invista em fones de ouvido que abafe o ruído

  • Baixe software de bloqueio de sites ou aplicativos para seus dispositivos móveis e computadores;
  • Remova todos os papéis e objetos perdidos dos lugares onde você trabalha;
  • Realize uma limpeza completa em seu quarto, o banheiro, local de estudo e/ou a mesa de trabalho;
    Depois de ter removido toda aquela confusão sensorial, você poderá ficar surpreso com a diferença que esses pequenos passos podem fazer.

Divida suas tarefas

Parece que Henry Ford – primeiro empresário a aplicar a montagem em série de automóveis – já sabia o segredo para se ter mais foco. Ao falar sobre suas linhas de montagem de automóveis icônicos, Ford disse: “Nada é particularmente difícil se você dividir em pequenas partes/tarefas”.

Muitos de nós lutamos com projetos grandes e os definimos como complicados porque não soubemos dividi-los de maneira inteligente. Muitas vezes caímos na armadilha mental de acreditar que é inútil dedicar tempo a uma tarefa se não formos capazes de terminá-la. A maioria dos grandes projetos não pode ser concluído de uma só vez, mas tratamos progressos lentos como um fracassos.

Uma maneira rápida e fácil de atenuar esse problema é seguir o antigo conselho de Henry Ford: dividir a tarefa em etapas pequenas e plausíveis. Dedicar sua mente a essas pequenas tarefas de maneira singular e simplificada o ajudará a melhorar sua concentração. Levará tempo, mas as recompensas podem ser muito satisfatórias. Imagine o quão incrível será a sensação de ultrapassar um enorme projeto da sua lista!

Fale com um especialista

Não tenha vergonha de procurar ajuda. Ninguém conhece hábitos e comportamentos melhor que um terapeuta. Um profissional da área pode ajudá-lo a avaliar sua rotina diária, eliminar padrões que não estão funcionando bem e desenvolver a motivação e a concentração que você precisa para ter sucesso.


Fonte https://www.betterhelp.com/advice/general/why-cant-i-focus/

Ansioso(a) demais? Saiba identificar quando a ansiedade se torna um problema

Apesar de ser vista como algo negativo, a ansiedade em certos casos pode ser bem-vinda. Em seu estado mais puro e primitivo, é essa emoção que nos mantém vivos e ilesos em diversas situações.

Nossos ancestrais precisavam disso para evitar serem comidos por animais selvagens. Ao se preocupar com as ameaças antecipadamente, eles se prepararam para lutar ou fugir quando necessário. Isso os ajudou a sobreviver e, eventualmente, prosperar. Mas quando a ansiedade deixa de ser saudável? Confira a matéria a seguir e entenda a diferença de uma ansiedade normal da patológica.

Ansiedade saudável

Podemos não ter mais esse tipo de ameaça em nossas vidas diárias, mas essa mesma ansiedade ainda tem usos práticos. Preocupar-se um pouco com possíveis erros ou resultados negativos nos ajuda a sermos responsáveis. Por exemplo, quando as pessoas têm uma ansiedade moderada sobre cumprir um prazo, elas ganham uma motivação que as ajudam a terminar um trabalho antes do tempo. Quando o trabalho termina, a ansiedade desaparece. Portanto, a ansiedade leve e ocasional não é algo para se tratar ou se preocupar. É apenas parte do funcionamento neurológico normal do ser humano.

Ansiedade exagerada

Porém, quando a ansiedade atinge um certo nível de intensidade e frequência, deixa de ser útil. Nesse caso, ela se torna uma fonte de sofrimento e distração. Esse tipo de ansiedade não permite que o indivíduo aproveite a vida de forma mais leve e plena. E, muitas vezes, este é um sintoma de um transtorno de ansiedade.

Considere, por exemplo, um funcionário que experimenta um alto nível de ansiedade, mesmo depois de cumprir prazos ou enquanto deveria relaxar em sua casa em uma noite de sexta-feira. Ou pior, imagine alguém que constantemente acha que vai morrer, apesar de não haver ameaças a sua vida.

Confira abaixo alguns dos sintomas que frequentemente indicam um distúrbio de ansiedade ou outra doença mental:
  • Inquietação
  • Cansaço frequente
  • Dificuldade em se concentrar ou memória prejudicada
  • Irritabilidade
  • Tensão muscular
  • Dificuldade em controlar a preocupação
  • Palpitações
  • Problemas de sono (dificuldade em cair no sono ou permanecer dormindo)

Se você acredita que está vivendo com um transtorno de ansiedade, entre em contato com um terapeuta para receber um diagnóstico. Existem diferentes opções de tratamento e táticas para enfrentar a ansiedade exagerada, como por exemplo, combinar a terapia com um estilo de vida saudável, que inclui exercícios e meditação.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira 9 efeitos que a ansiedade pode causar no seu corpo e formas de lidar com a ansiedade.

Fonte: https://www.talkspace.com/blog/2017/05/when-does-normal-anxiety-become-a-mental-illness/

9 efeitos que a ansiedade pode causar no seu corpo

A ansiedade faz com que o nosso corpo lance algumas substâncias químicas no sangue, como o cortisol e a adrenalina, que nos preparam para uma reação de luta ou de fuga. O sangue passa a ser desviado para as áreas do corpo que nos preparam para agir. Nesse momento é comum se sentir pressionado, à medida que a frequência cardíaca, a sudorese e a tensão muscular aumentam.

Depois que a ameaça passa, retornamos a um estado normal e equilibrado. A partir dessa perspectiva, a ansiedade não é apenas normal, como também uma resposta adaptativa saudável projetada para nos manter seguros.

Nos dias atuais, a ansiedade, apesar de ainda ter sua importância, ocorre de forma muito mais rotineira do que deveria e isso acaba trazendo problemas para a saúde do indivíduo.

Veja a matéria a seguir e entenda como a ansiedade afeta o seu corpo.

1. Problemas cardíacos

A ansiedade exige que o coração bombeie mais sangue para chegar às áreas do corpo que precisam responder a uma ameaça. Embora isso seja geralmente reversível quando o problema passa, para aqueles com ansiedade e estresse contínuo, o coração continua operando em um nível elevado. Isso pode aumentar o risco de doença cardíaca, ataque cardíaco e derrame.

Dois estudos feitos pela Harvard Medical School e pelo Lown Cardiovascular Research Institute, descobriram que “aqueles que sofrem de um distúrbio de ansiedade têm duas vezes mais chances de ter um ataque cardíaco do que aqueles sem histórico de distúrbios de ansiedade”.

2. Pressão alta

Da mesma forma que os batimentos cardíacos aumentam para que o corpo consiga bombear mais sangue, a pressão arterial também aumenta. Embora apenas a ansiedade não seja suficiente para fazer com que o indivíduo tenha pressão alta, esses picos que ocorrem podem fazer mal à saúde a longo prazo.

3. Asma e problemas respiratórios

Diversos estudos já mostram que existe uma forte correlação entre ansiedade e asma. Em Uma pesquisa realizada em 2005, cujos resultados foram publicados no American Journal of Respiratory, descobriu que pessoas diagnosticadas com transtorno do pânico têm seis vezes mais chances de desenvolver asma do que aqueles sem ansiedade.

4. Problemas estomacais e gastrointestinais

Você sabia que problemas gastrointestinais, como diarréia, dores de estômago e náuseas são sintomas bastante comuns de ansiedade? Se você já procurou um médico para garantir que não há nada de errado, mas, ainda assim, continua apresentando algum dos sintomas acima, talvez seja hora de procurar ajuda para trabalhar essa ansiedade exagerada.

5. Insônia

As causas para a insônia podem ser várias, porém, de acordo com médicos e psicólogos, um dos principais motivos do problema costuma estar relacionado ao estresse e a ansiedade.

A falta crônica de sono abre brechas para outros possíveis problemas de saúde, como doenças cardíacas, derrame e enfraquecimento do sistema imunológico. Portanto, não deixe de procurar ajuda de um profissional da área de saúde para entender como tratar o problema e recuperar suas noites de sono. Veja algumas dicas para uma enfrentar a insônia e ter uma noite de sono tranquila.

6. Picos de açúcar no sangue

Durante um momento de tensão ou ansiedade, nosso corpo libera hormônios de cortisol e epinefrina, o que faz com que o fígado produza mais glicose, ou açúcar no sangue, para dar ao indivíduo mais impulso e energia.

Depois que a emergência passa, geralmente o corpo simplesmente absorve esse açúcar extra no sangue. No entanto, de acordo com a Associação Americana de Psicologia, os repetidos aumentos no açúcar no sangue podem aumentar o risco para aqueles predispostos ao diabetes tipo 2 de contrair a doença.

7. Diminuição da imunidade

Como os recursos corporais ficam voltados para a necessidade de proteção imediata do corpo, o sistema imunológico pode ser temporariamente suprimido. Quando a ansiedade faz com que isso aconteça de novo e de novo, temos mais chances de pegar um vírus, como resfriados, e não conseguimos combater as infecções existentes da maneira mais eficaz.

8. Ganho de peso

É comum pessoas ansiosas desenvolverem compulsão alimentar. Os “alimentos de conforto”, como são chamados, liberam a sensação de serotonina, que podem trazer um alívio temporário, fazendo com que a pessoa volte repetidas vezes ao alimento, em busca de prazer. Mas com o tempo, as calorias causadas pelo estresse crônico se somam e, para piorar as coisas, o cortisol pode estar associado um aumento no armazenamento de gorduras no corpo.

9. Tensão muscular crônica

Os músculos ficam tensos ao primeiro sinal de ameaça, porque nosso corpo está reunindo forças para responder rapidamente a situação, seja para atacar, nos proteger ou fugir. Quando estamos ansiosos, nossos músculos nunca têm a chance de relaxar completamente e permanecemos rígidos o tempo todo. Dores de cabeça e enxaqueca também são comuns em pessoas ansiosas, devido a pressão que fazem com a mandíbula muitas vezes sem nem perceber.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental ? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você !

Fonte: https://www.talkspace.com/blog/2018/05/ways-anxiety-impacts-your-physical-health/