Teste de Depressão

De uma maneira geral, os sintomas de depressão se confundem bastante com sintomas de outras doenças. E saber qual a diferença entre um quadro de tristeza e um caso real de depressão não é a tarefa mais simples do mundo. E verdadeira depressão difere da tristeza em dois pontos-chave, veja no Blog do FalaFreud.

De uma maneira geral, os sintomas de depressão se confundem bastante com sintomas de outras doenças. E saber qual a diferença entre um quadro de tristeza, por exemplo, e um caso real de depressão não é a tarefa mais simples do mundo. “Tristeza é uma emoção, enquanto depressão é uma doença”, explica o psiquiatra Ken Robbins, da Universidade de Wisconsin-Madison – nos Estados Unidos.
E verdadeira depressão difere da tristeza em dois pontos-chave: Continue lendo “Teste de Depressão”

Terapia: Confira os maiores mitos sobre se consultar com um terapeuta

Ninguém questiona uma pessoa quando ela se sente doente e decide procurar um médico, certo? Mas então por que somos questionados quando decidimos ir a um terapeuta para falar sobre nossos sentimentos e problemas? As pessoas que vão à terapia estão em busca de autoconhecimento para lidar com suas mentes e emoções – da mesma forma que um médico trata seu corpo – , no entanto, lidamos diariamente com equívocos e suposições injustas sobre a terapia.

Na matéria a seguir, vamos desvendar esses mitos e entender melhor o conceito de terapia e porque é tão importante buscar ajuda de um profissional dessa área.

Mito 1: “Somente pessoas doidas vão à terapia”

Um dos conceitos mais deturpados sobre a terapia é achar que apenas pessoas com problemas graves ou doentes procuram a terapia. Engana-se quem pensa isso. As pessoas que buscam terapia são àquelas com vontade de evoluir, de se tornarem pessoas melhores, terem mais autoconhecimento e com isso melhorarem sua relação consigo mesmas e, consequentemente, sua relação com o próximo. Terapia é um ato de amor próprio.

Mito 2: “As pessoas são forçadas a fazer terapia”

O equívoco acima surge porque as pessoas assumem que os clientes não vão à terapia por opção. Elas acham que o indivíduo está “louco” a ponto de seus entes queridos terem que arrastá-los para a terapia. 

A verdade é que a grande maioria das pessoas que frequenta a terapia, faz isso por vontade própria. Elas querem ajuda e começam a perceber as melhorias do processo terapêutico logo nos primeiros meses.

Mito 3: “Existe algo de errado com pessoas que vão à terapia”

Muitas pessoas têm vontade de iniciar a terapia, mas não se sentem confortáveis devido a ideia errada de que só faz terapia quem está enfrentando alguma dificuldade muito grande. Porém, depois que começam o processo terapêutico, os clientes entendem que qualquer pessoa pode fazer e se beneficiar dos aprendizados que vêm com a terapia.

Mito 4: “Você precisa ter muito dinheiro para ir a terapia”

O FalaFreud é um dos maiores exemplos de que esta afirmação não tem fundamento. Nós temos como proposta levar terapia a todos e por um valor bem mais acessível. Baixe o aplicativo em seu celular e descubra que a terapia online pode sim estar dentro do seu orçamento!

Mito 5: “Pessoas que recorrem à terapia são fracas demais para lidar com os problemas por conta própria”

Imagine dizer a alguém que sofreu um acidente de carro que ir a um médico significava que ela é fraca demais para se recuperar dos ferimentos por conta própria. Absurdo, não é mesmo? Esse exemplo não é tão diferente de chamar alguém de fraco porque a pessoa buscou terapia para lidar com traumas, doenças mentais ou estresse, por exemplo, em vez de resistir. Pedir ajuda não é um sinal de fraqueza e a terapia não é exceção. Muito pelo contrário. A terapia é um trabalho árduo, e as pessoas que vêm para a terapia são corajosas e fortes suficientes para pedir ajuda e fazer mudanças em suas vidas.

A realidade é que pessoas bem-sucedidas e ambiciosas frequentemente buscam terapia. Eles vêem a melhora na saúde mental como um objetivo a alcançar e sabem os benefícios que o processo pode trazer em diferentes áreas de suas vidas. 

Mito 6: “O terapeuta é quem faz todo o trabalho”

As pessoas que têm mais sucesso na terapia são aquelas que pensam por si mesmas e buscam a terapia apenas para conhecer melhor seus recursos internos e aprenderem a lidar com os problemas. O terapeuta pode te dar uma orientação, mas a mudança vem de dentro.

Ao contrário do que se pensa, se você apenas sentar e esperar que o terapeuta faça todo o trabalho, é provável que você não avance muito. Lembre-se, a terapia é um trabalho de equipe e o paciente também deve se esforçar para mudar comportamentos e hábitos ruins.

Mito 7: “As pessoas que fazem terapia não têm amigos, familiares ou pessoas dispostas a ouvir o que elas têm a dizer”

Engana-se quem pensa que os amigos ou familiares podem substituir o trabalho de um profissional. Infelizmente isso ainda é muito falado por aí, mas esse pensamento está totalmente equivocado.

O terapeuta é um profissional treinado, que estuda muito para isso, ouve atentamente, a fim de chegar à uma resposta que ajude o paciente a evoluir. Não é dar conselhos. O terapeuta vai dar ao paciente os recursos para que ele consiga aprender a resolver seus problemas e lidar com as questões pessoais de uma forma mais leve e tranquila.

Mito 8: “As pessoas que vão a terapia estão sob efeito de uma medicação”

Nem todo mundo que faz terapia precisa tomar alguma medicação. Quando o cliente precisa do auxílio de medicamentos, ele é encaminhado a um psiquiatra, fazendo assim uma combinação da psicoterapia com os remédios. As pessoas confundem muito a psiquiatria com psicologia, sendo que o primeiro ajuda com medicamentos e o segundo com psicoterapia. 

Mito 9: “Apenas mulheres fazem terapia”

Alguns homens ainda resistem a terapia, devido à pressão social que muitas vezes é imposta a eles. É preciso acabar com essa ideia, uma vez que a dor e os conflitos internos fazem parte da condição humana. O problema é que muitas pessoas, principalmente homens, preferem não lidar com isso e não investigam as causas por trás de um problema para não serem vistos como “fracos” ou “menos homens” por isso. Todos nós temos problemas e provavelmente todos precisamos de terapia.

Mudando a forma como vemos a terapia

A terapia é mais que um tratamento. É um estilo de vida. É uma das maneiras pelas quais lidamos e entendemos melhor nossas emoções, mudanças, estresse, crenças e relacionamentos.

Para reduzir essas suposições dolorosas, que ainda impedem as pessoas de receberem a ajuda na qual precisam, precisamos fazer com que a sociedade aceite a terapia como algo positivo, sem esses estigmas. É hora das pessoas saberem dos benefícios que a terapia tem a oferecer e perceberem a real importância do processo terapêutico.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você!

Fonte:https://www.talkspace.com/blog/2015/10/truth-people-therapy-misconceptions-myths/#more-3042