Rivotril: conheça sua função e efeitos colaterais

Popularmente conhecido como Rivotril, o Clonazepam é um medicamento que foi criado para ajudar no tratamento de transtornos psicológicos, neurológicos, ansiedade e crises epilépticas.

Ao proporcionar um relaxamento muscular e tranquilizante, muitas pessoas buscam nele uma forma de resolver algumas condições físicas ou mentais. Mas será que realmente o Rivotril serve para os seus propósitos individuais?

Rivotril é indicado para quem?

O Clonazepam pode ser achado nas farmácias desde que o paciente esteja munido com a prescrição médica indicada. O remédio é encontrado na forma de comprimidos ou gotas.

Como foi dito acima, essa medicação é indicada para tratar crises epilépticas e espasmos infantis na síndrome de West, por exemplo. Contudo, o Rivotril abrange para outras condições como:

  • Transtornos do humor

Transtorno afetivo bipolar e tratamento da mania;

Depressão.

  • Transtornos de ansiedade

Distúrbio do pânico com ou sem medo de espaços abertos;

Fobia social.

  • Vertigem e distúrbios do equilíbrio

Desmaios;

Quedas;

Náuseas;

Vômitos;

Zumbidos e distúrbios auditivos.

  • Síndromes psicóticas

Acatisia, conhecida por ser uma inquietação extrema, causada por medicamentos psiquiátricos.

Apesar de atender uma variedade de públicos, o remédio deve ter sua dose ajustada conforme a necessidade de cada paciente. O responsável por cuidar dessa etapa é o médico que pode orientar a pessoa na questão da idade, o tipo da doença que será tratada e, por fim, a dosagem.

Vale ressaltar que o produto não pode ser ingerido com bebidas alcoólicas ou, com o uso de remédios que possam deprimir o sistema nervoso central. Por esse e demais fatores, é importante passar por um profissional adequado e conferir a possibilidade ou não de consumir essa medicação.

Todos podem tomar?

Nem todas as pessoas podem ingerir o remédio, já que em excesso ele pode causar dependência e crises epilépticas frequentes. Dentre os indivíduos que não devem fazer uso do do Rivotril estão:

  • Pacientes com alergia aos benzodiazepínicos;
  • Pessoas com doença grave dos pulmões ou fígado;
  • Indivíduos com glaucoma agudo de ângulo fechado;

Em alguns casos específicos, a utilização do Clonazepam é permitida desde que tenha a orientação médica adequada:

  • Em caso de gravidez, amamentação;
  • Doenças nos rins, pulmões ou fígado;
  • Porfiria, intolerância à galactose ou deficiência de lactase;
  • Ataxia cerebelar ou espinhal.

Efeitos colaterais

Por outro lado, a medicação pode apresentar também alguns efeitos colaterais. Os mais famosos são:

  • Sonolência;
  • Dor de cabeça;
  • Cansaço e gripe;
  • Depressão;
  • Vertigem;
  • Irritabilidade;
  • Insônia;
  • Dificuldade para coordenação motora;
  • Perda de equilíbrio;
  • Dificuldades de concentração;
  • Diminuição dos glóbulos brancos;
  • Anemia;
  • Febre;
  • Aumento dos gânglios linfáticos;
  • Ganho ou perda de peso.

A importância da ajuda psicológica

A eficácia do Rivotril não se baseia apenas no seu consumo. É necessário conciliar o produto com um tratamento psicológico. Só assim o paciente consegue os resultados esperados.

Além disso, uma alternativa para investir no bem-estar do seu equilíbrio emocional é participar de uma terapia online. Com ela, você pode se consultar no lugar que estiver e no melhor horário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui