Autismo: características, sintomas e tratamento

O autismo é um conjunto de transtornos de desenvolvimento que pode causar vários problemas ao indivíduo, como dificuldade de interação, de linguagem e comportamento. Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem mais de 70 milhões de pessoas autistas no mundo e no Brasil cerca de 2 milhões. 

Para desmistificar a condição e esclarecer dúvidas, neste artigo vamos exemplificar as características, causas, sintomas do autismo e dos desafios que os autistas enfrentam. 

O que é? 

O autismo é uma disfunção e faz parte de um agrupamento denominado Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), junto com ele outras disfunções como  a síndrome de asperger, transtorno degenerativo da infância, o autismo e outros. 

A condição  do autista compromete o desenvolvimento e diminui a capacidade do indivíduo, principalmente na parte de interação social  e comportamental. Eles se diferenciam pois cada um possui um nível de autismo e podem apresentar diferentes características em diferentes graus, como a baixa funcionalidade, a alta funcionalidade, inteligência acima da média e etc..

Causas 

Não se conhece exatamente a causa do autismo, mas estudos relacionam a doença com  alterações genéticas, doenças metabólicas e transtornos do desenvolvimento. Apesar de não sabermos ainda a causa, os fatores de risco existem e alguns padrões se repetem. Acredita-se que tem mais propensão a terem autismo:

  • Pessoas que têm casos de autismo na família;
  • Crianças do sexo masculino;
  • Crianças que possuem outras condições genéticas;

Sintomas

Identificar o autismo pode ser fácil em alguns casos mais graves, mas em níveis mais leves a condição pode ser confundida. Apesar disso, todos os autistas apresentam sintomas em comum, mas como já dito antes, em graus diferentes. 

Os sintomas estão relacionados principalmente com dificuldade de:

  • Aprendizado, que se apresenta em diversas fases da vida;
  • Comunicação;
  • Interação social.

Outro sintoma muito presente e que pode indicar um comportamento autista é a repetição de comportamentos. 

Por outro lado, alguns indivíduos autistas podem superar tarefas auditivas e visuais, possuírem memória muito boa e um poder de concentração em uma atividade, desenvolvendo essa capacidade de forma excelente. 

Graus de autismo 

A gravidade do autismo pode se diferenciar e variar em alguns graus, cada um com sua especificidade. São eles:

Nível 1 – Alta funcionalidade: Apresentam pouco interesse e dificuldade nas interações sociais. Não conseguem se planejar, organizar ou trocar de atividade com facilidade. Eles conseguem trabalhar, estudar e etc.;

Nível 2 – Média funcionalidade: Com grandes dificuldades na habilidade social e interação, mesmo com apoio. Pra eles é complexo flexibilizar comportamentos, fazer contato visual. São os autistas clássicos;

Nível 3 – Baixa funcionalidade: Grandes dificuldades na comunicação verbal, não verbal e de interação social. Fazem movimentos repetitivos e possuem retardo mental. Precisam de tratamento por toda a vida.

Tratamento

O autismo não tem cura, porém ele pode ser trabalhado para amenizar os sintomas e dar suporte ao aprendizado e desenvolvimento do indivíduo, principalmente nas áreas de habilidades sociais e de comunicação.

O tratamento se difere de acordo com o grau de cada um, mas pode ser feito com o auxílio da psicoterapia, terapia comportamental, familiar e educacional. Além de outras vertentes como a fonoaudiologia, ludoterapia e em alguns casos até medicação.

O mais importante é a conscientização da situação, para que autistas e pais tenham o suporte necessário para obter qualidade de vida. Desmistificar essa condição é dever de todos, para que o debate seja cada vez maior dentro da sociedade. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui