Por que a frustração pode ser prejudicial para sua saúde?

Nem sempre as coisas acontecem do jeito que esperamos e, muitas vezes, nos sentimos impotentes diante de situações como essa. A frustração é o sentimento mais comum nesses momentos, quando algo que era esperado não acontece.

A expectativa e o desejo não são realizados, o que pode gerar um desânimo e incômodo muito grandes. Mas tudo isso é normal porque sentir-se frustrado faz parte do desenvolvimento do ser humano na sociedade.

Isso significa que com as experiências frustradas, o indivíduo tem a possibilidade de crescer, aprender e criar novas formas de interagir com o que está em volta dele. A frustração só se torna prejudicial quando a decepção estimula um problema emocional

Caso chegue nesse ponto, as consequências são muito sérias e conseguem interferir no bem-estar físico e mental da pessoa. Por isso, é fundamental entender como ela funciona e quais atitudes tomar para equilibrar esse fator.

Como funciona a frustração?

A frustração pode ser chamada de síndrome e apresenta diversos sintomas. No entanto, vale destacar que ela é um incentivo para trabalhar ações conscientes, superar os erros, fazer algo diferente e melhor.

Porém, num mundo em que o prazer e a satisfação são considerados como as únicas formas de se viver bem, é realmente complicado manter o equilíbrio e não desabar quando essas situações aparecem.

Dessa forma, uma imensidão de sentimentos negativos invadem os pensamentos da pessoa, como: fracasso, baixa autoestima, impotência, dentre outros.

Dicas para lidar com esse problema

Apesar de ser um desafio para muitos, é possível traçar um caminho para manter a frustração sob controle. O mais importante durante esse processo é avaliar qual dessas dicas se encaixa mais com o seu perfil. Lembre-se, cuidar desse problema exige compromisso e principalmente estar aberto a novas formas de viver. 

Resiliência

Quando a pessoa se sente frustrada, geralmente, ela toma algumas escolhas: foge da situação, ignora os próprios sentimentos ou evita situações parecidas no futuro por medo de se frustrar novamente. 

Tanto essas, como outras alternativas que não permitem encarar o problema de frente, são falhas. Elas podem até resultar em consequências negativas para o futuro, podendo levar a doenças mentais e físicas graves. 

O segredo aqui é aceitar a realidade dos fatos, acreditar na capacidade interior e agir. A força pela resiliência deve ser mais forte que o comodismo. Mas isso nada adianta se a pessoa não compreender claramente as causas das frustrações.

A partir do momento que a pessoa identifica o que deve ser alterado, ela tem mais autonomia para realizar ações individuais. Assim, fica mais fácil de reduzir o sentimento negativo e experimentar pensamentos positivos e honestos.

Autoconhecimento

Extremamente necessário para trazer harmonia, o autoconhecimento é uma questão que promove a busca pelas origens, gostos pessoais, hábitos, bagagem cultural e muito mais.

Para ser usado da forma correta, o autoconhecimento precisa se tornar parte da vida da pessoa, analisando cada sentimento frustrado do dia-a-dia. E o mais relevante, ter a consciência de que cada problema que surge é uma oportunidade de mudança.

Não lide sozinho com seus problemas

Tanto a resiliência como o autoconhecimento podem ser desenvolvidos e aplicados com uma ajuda psicológica

Com tratamento terapêutico e o profissional ideal, essa meta pode ser conquistada e trabalhada de forma saudável e eficaz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui