Luto: saiba como lidar com a morte e ausência

Perder entes queridos é um processo muito doloroso e pode gerar uma série de mudanças comportamentais para aqueles que lidam com o luto. Cada pessoa passa por um processo muito individual ao lidar com a morte, mas se entendermos as fases que o processo pode ter, podemos aprender a lidar com esse sentimento. Nossa matéria de hoje vai mostrar quais os estágios do luto e como você pode se ajudar nessa fase. 

A ausência abrupta e definitiva pode causar uma série de questões para quem era próximo, mas elas são individuais e particulares, por isso, é tão difícil caracterizar o luto. Cada pessoa reage de uma maneira nessas situações, mas apesar disso foi possível estabelecer 5 fases do luto, são elas:

1- Negação 

Quando somo próximos a alguém pode ser muito difícil aceitar a ausência abrupta dessa pessoa, por isso, é comum sentir que essa nova realidade é uma coisa passageira, como se a ela pudesse voltar a qualquer momento. É comum também o desconfiar, achar que a informação não é real ou que foi um anúncio enganoso e logo vão desmentir. 

Isso acontece geralmente porque a pessoa não quer sentir a ruptura e a negação as protege. Algumas pessoas passam anos nessa fase e não há regras, cada um sente de uma maneira. 

Destacamos aqui a importância da terapia no primeiro luto, para que as pessoas possam aceitar e entender a ausência e não ficarem presas a um passado. 

2- Estágio de raiva

Após o entendimento da morte aparece a raiva, pois a realidade se apresenta e não há nada que possa ser feito para o problema ser resolvido. Por tanto, nesse período é comum a irritabilidade e explosões de raiva para externalizar o sentimento de impotência e frustração. 

Esse sentimento de raiva pode ser direcionado a alguns objetos ou algo que esteja relacionada a morte, mas isso não precisa acontecer necessariamente. As pessoas que estão na convivência dessas pessoas devem tentar entender a situação e, além de oferecer seu próprio apoio, apontar algumas saídas, como a terapia. 

3- Estágio de negociação 

Tendo o entendimento total da morte, as pessoas começam a negociar o acontecimento. A mudança se faz presente na vida dessas pessoas, como se elas conseguissem reverter alguns fato. Os hábitos mudam, alguns adotam novas posturas, quem é religioso busca amparo nas questões sobrenaturais e etc.. 

Isso pode ser benéfico, mas todo exagero deve ser observado de perto. Quando as mudanças podem ser consumadas de uma maneira normalizada isso é saudável, quando não é importante buscar ajuda de profissionais. 

4- Estágio da depressão

Quando todos os estágios anteriores são somados, por não terem sido acompanhados adequadamente, a tristeza se torna profunda e o vazio toma conta da pessoa. Chamamos essa fase de depressão. 

A dor do luto não é curada, pois o luto não é uma enfermidade da psique, mas sim um estado que deve ser vivido e superado. Essa fase precisa de muita atenção, pois como já falamos antes, cada um vivencia o luto de uma maneira e o estágio da depressão se caracteriza por uma tristeza profunda, que pode, ou não, ser intensificada. 

5- Estágio de aceitação 

Esse é o momento que a pessoa aceita a condição em que está inserida. Ela já não luta contra o acontecimento, mas aceita. Isso não quer dizer que o sentimento de dor irá desaparecer ou o episódio ser esquecido, mas sim que a pessoa simplesmente aceitou. 

Lembramos mais uma vez que cada pessoa reage de uma maneira a morte, os estágios podem não acontecer de forma cronológica. Esse é um estado muito pessoal, mas apesar disso destacamos a importância de procurar a ajuda psicológica correta. 

Às vezes a pessoa não quer sair de casa, por isso, a terapia online pode ser apresentada a ela como uma oportunidade de entender seus sentimentos sem sair do conforto de seu ambiente. Independentemente da situação o luto deve ser vivido e se possível com acompanhamento. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui