É recomendado fazer psicoterapia infantil?

Você sabia que o ato de ir ao psicólogo não deve se restringir apenas aos adultos e adolescentes? Essa ação também precisa ser praticada pelas crianças e incentivada pelos pais e/ou responsáveis.

E quando falamos desse período da vida, é sempre bom lembrar que ser criança é mergulhar num mundo cheio de descobertas. Além disso, ela está num processo de transformação e, por isso, em cada fase da vida do ser humano é importante ter cuidados específicos, ainda mais quando a pessoa se encontra no estágio da infância.

Com as orientações apropriadas, a criança terá um grande auxílio impedindo que as próximas fases de sua vida sejam prejudicadas. Cuidar da saúde mental dos mais jovens se tornou uma questão fundamental atualmente. 

Portanto, com a psicoterapia, a pessoa consegue ter mais consciência a respeito de seus sentimentos e também em relação à sua construção como indivíduo na sociedade.

Conceito de psicoterapia infantil

De forma geral, a psicoterapia infantil é considerada como o cuidado e atenção à saúde mental da criança. E é nas sessões de terapia que a pessoa tem acesso a um espaço de acolhimento para compartilhar suas angústias, inseguranças, medos e um momento de intervenções com os próprios pais.

Para promover uma infância saudável, a psicoterapia infantil se utiliza da Ludoterapia para caminhar rumo ao bem-estar do espaço familiar que os jovens convivem, não se esquecendo também da prevenção e solução de conflitos.

Qual o objetivo principal?

Cada criança possui suas emoções e particularidade, sendo assim, o psicólogo tem como proposta a de auxiliar na expressão desses sentimentos. Através da brincadeira, por exemplo, ela será capaz de expandir e demonstrar diversas emoções:

  • Frustração;
  • Insegurança;
  • Agressividade;
  • Medo;
  • Espanto;
  • Confusão e re-significar os eventos traumatizantes.

Portanto, o terapeuta tem autonomia para agir como um facilitador, sendo responsável por identificar os conflitos e auxiliar na busca de melhores alternativas para lidar com eles. No entanto, o papel do psicólogo se volta para os pais dessa criança porque ele irá orientá-los a como intervir diante dessas vivências.

Como ela funciona?

Nas primeiras sessões, os pais devem estar presentes. Mais adiante, o terapeuta

realiza entrevistas iniciais para reunir informações sobre a história da criança e para conhecer a dinâmica da família em que a mesma está inserida. 

Com as informações necessárias, ele terá mais condições de compreender a queixa e avaliar os objetivos do trabalho. Já nas próximas sessões, a criança não vai precisar necessariamente do acompanhamento dos responsáveis.

Vale destacar que é através do brincar que a pessoa poderá expressar o seu mundo simbólico. Com a ajuda do psicólogo, encontrará recursos de enfrentamento para se posicionar diante de tudo que está em sua volta, mas desta vez, de forma saudável e sem prejuízos no seu dia a dia.

Por isso, se você percebeu que existe alguma criança da sua família que precisa desse tipo de acompanhamento, oriente os pais dela a procurarem uma terapia e iniciar o tratamento adequado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui