Conheça os sintomas e saiba como lidar com a claustrofobia

Por ser uma das fobias mais comuns que existem no mundo, a claustrofobia pode variar muito de pessoa para pessoa, dependendo de sua gravidade. Basicamente, ela envolve o medo de espaços fechados ou confinados e, é possível sentir o seus sintomas outras situações de níveis diferentes.

Quem convive com esse problema está sujeito a sofrer com ataques de pânico 

ou receio constante de ter um à qualquer momento. Por isso, entender como a claustrofobia funciona é essencial, pois a partir do momento que você compreender as consequências e as formas de tratamento, fica mais fácil de amenizar os impactos na sua qualidade de vida.

Entenda a claustrofobia

Quando o assunto são fobias, é necessário saber que elas são chamadas como um medo irracional e debilitante em relação a um objeto, situação, sentimento, animal ou lugar. 

Sendo assim, elas podem ser mais fortes do que medos comuns e tendem a se desenvolver quando você possui um senso de perigo muito exagerado. No entanto, se a pessoa que lida com a claustrofobia não entra em contato com a fonte do seu problema com tanta frequência, talvez isto não afete tanto a vida dela.

Mas vale lembrar que dependendo de cada indivíduo, só de pensar nas coisas que ele mais teme pode causar alguns sintomas de ansiedade antecipatória. Caso a fobia vai se agravando com o tempo, a pessoa que sofre pode organizar sua vida evitando o aspecto que está causando sofrimento. 

Contudo, não podemos nos esquecer de mencionar que se um ataque de pânico ocorre quando claustrofóbicos estão em espaços confinados, o ser humano teme não ser capaz de escapar dessa situação. Um exemplo disso é que o claustrofóbico pode sentir dificuldades até mesmo na hora de respirar em auditórios fechados, teatros e elevadores.

Como ela surge? 

Geralmente, a claustrofobia é desenvolvida a partir de um incidente traumático na infância. Porém, existem outras possíveis origens desse problema. Algumas pessoas podem nascer com um estilo de personalidade que talvez aumente as chances de ter essa fobia mais para frente. 

Enquanto outros desenvolvem um comportamento dependendo das experiências que têm. Isso vem do modo como os outros reagem a eles ou dos comportamentos que enxergam nos pais e em pessoas próximas.

Quais os sintomas mais frequentes?

Separamos os principais sintomas para que você os conheça e saiba identificar se possui ou não alguns deles:

  • Suor;
  • Frequência cardíaca acelerada;
  • Boca seca;
  • Confusão ou desorientação;
  • Tremores;
  • Hiperventilação ou “respiração excessiva”;
  • Falta de ar;
  • Sensação de asfixia;
  • Tontura;
  • Náusea;
  • Desmaio;
  • Dor no peito;
  • Dormência;
  • Medo de dano real ou morte.

Existe tratamento?

Assim como outros transtornos de ansiedade, a claustrofobia pode ser tratada de maneira semelhante. Para isso existem diversas formas, mas a mais eficaz é o recurso da terapia online

É nela que o psicólogo consegue ajudar as pessoas que têm esse problema a desenvolver habilidades de enfrentamento para controlar o medo e a ansiedade. 

Isso envolve a compreensão e o ajuste de pensamentos e crenças que ajudam a criar a ansiedade. Portanto, vale a pena investir nesse recurso para ter uma melhor qualidade de vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui