Saiba o que é o Fenótipo Ampliado do Autismo (FAA)

É importante que logo nos primeiros anos de vida de uma criança, os pais procurem reparar nos comportamentos do seu filho, para que se o mesmo tiver algum transtorno ou alguma doença mental, esse problema seja diagnosticado rapidamente.

Quando as crianças não olham nos olhos da mãe quando estão mamando, não interagem com outras crianças, e possuem dificuldade de aprendizado, mesmo com coisas simples, é preciso que os pais procurem saber qual o motivo disso estar acontecendo.

Em casos como esses, é provável que a criança possua o chamado transtorno de espectro autista, que é um problema psiquiátrico no qual afeta a comunicação e o desenvolvimento intelectual do indivíduo.

Para te ajudar a saber mais acerca desse distúrbio que tem afetado diversas pessoas, preparamos um guia completo sobre o autismo. Então, confira e saiba mais!

O que é transtorno de espectro autista?

O transtorno do autismo compromete as funções de comunicabilidade social e de aprendizado do indivíduo, e tende a aparecer até os 3 anos de idade.

Por isso os autistas possuem dificuldade em aprender coisas novas, e também em interagir socialmente, de forma a muitas vezes viver em seu próprio mundo isoladamente.

Hoje em dia esse transtorno é classificado de acordo com o seu grau de funcionalidade.

Quando a criança possui uma baixa funcionalidade, ela apresenta movimentos repetitivos, grande dificuldade em interagir com outras pessoas, e também em aprender.

Em casos de média funcionalidade, o indivíduo possui problemas em se comunicar, e comportamentos repetitivos.

Já na alta funcionalidade, o autista apresenta algumas limitações, mas muitos deles conseguem ter uma vida normal, construindo uma família, e obtendo empregos.

Quais são os sintomas do autismo?

O autista apresenta diversos sintomas. Dentre os principais estão:

  • Realizar movimentos repetitivos de forma constante;
  • Grande nível de ansiedade e agressividade;
  • Bastante inquietação;
  • Dificuldade para se adaptar em uma nova rotina;
  • Pouca ou nenhuma interação social;
  • Limitações no processo de aprendizado.

Como é feito o diagnóstico do autismo?

Não há nenhum exame realizado em laboratório que seja capaz de diagnosticar o autismo, assim só é possível analisar o paciente através dos seus comportamentos.

E também pelo Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, e pela Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde, que abordam os principais conceitos acerca do transtorno do espectro autista.

Quais as causas do autismo?

A partir de diversos estudos, foi desenvolvida a teoria de que o TEA pode ser hereditário, e assim repassado de pais para filhos, por conta do FAA, que é o Fenótipo Ampliado do Autismo.

Mas, o autismo também pode ser causado por problemas com a mãe durante a gravidez, como infecções.

Para prevenir o TEA é importante que as mulheres grávidas procurem não consumir bebida alcoólica e evitem lugares poluídos.

Como tratar o autismo?

Não existe cura para esse transtorno psiquiátrico, no entanto há diversos tratamentos que podem ser realizados, juntamente com médicos e psicólogos, para que a criança possa se desenvolver, de forma a se vestir e escovar os dentes sozinha, por exemplo.

Em casos de alto nível de ansiedade, agressividade, e até mesmo depressão, são prescritos remédios para que o autista consiga ter uma vida normal.

É válido salientar quando mais precocemente é diagnosticado o autismo, mais a criança tem chances de iniciar logo o tratamento, e assim obter melhoras em relação os sintomas do autismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *