9 efeitos que a ansiedade pode causar no seu corpo

A ansiedade faz com que o nosso corpo lance algumas substâncias químicas no sangue, como o cortisol e a adrenalina, que nos preparam para uma reação de luta ou de fuga. O sangue passa a ser desviado para as áreas do corpo que nos preparam para agir. Nesse momento é comum se sentir pressionado, à medida que a frequência cardíaca, a sudorese e a tensão muscular aumentam.

Depois que a ameaça passa, retornamos a um estado normal e equilibrado. A partir dessa perspectiva, a ansiedade não é apenas normal, como também uma resposta adaptativa saudável projetada para nos manter seguros.

Nos dias atuais, a ansiedade, apesar de ainda ter sua importância, ocorre de forma muito mais rotineira do que deveria e isso acaba trazendo problemas para a saúde do indivíduo.

Veja a matéria a seguir e entenda como a ansiedade afeta o seu corpo.

1. Problemas cardíacos

A ansiedade exige que o coração bombeie mais sangue para chegar às áreas do corpo que precisam responder a uma ameaça. Embora isso seja geralmente reversível quando o problema passa, para aqueles com ansiedade e estresse contínuo, o coração continua operando em um nível elevado. Isso pode aumentar o risco de doença cardíaca, ataque cardíaco e derrame.

Dois estudos feitos pela Harvard Medical School e pelo Lown Cardiovascular Research Institute, descobriram que “aqueles que sofrem de um distúrbio de ansiedade têm duas vezes mais chances de ter um ataque cardíaco do que aqueles sem histórico de distúrbios de ansiedade”.

2. Pressão alta

Da mesma forma que os batimentos cardíacos aumentam para que o corpo consiga bombear mais sangue, a pressão arterial também aumenta. Embora apenas a ansiedade não seja suficiente para fazer com que o indivíduo tenha pressão alta, esses picos que ocorrem podem fazer mal à saúde a longo prazo.

3. Asma e problemas respiratórios

Diversos estudos já mostram que existe uma forte correlação entre ansiedade e asma. Em Uma pesquisa realizada em 2005, cujos resultados foram publicados no American Journal of Respiratory, descobriu que pessoas diagnosticadas com transtorno do pânico têm seis vezes mais chances de desenvolver asma do que aqueles sem ansiedade.

4. Problemas estomacais e gastrointestinais

Você sabia que problemas gastrointestinais, como diarréia, dores de estômago e náuseas são sintomas bastante comuns de ansiedade? Se você já procurou um médico para garantir que não há nada de errado, mas, ainda assim, continua apresentando algum dos sintomas acima, talvez seja hora de procurar ajuda para trabalhar essa ansiedade exagerada.

5. Insônia

As causas para a insônia podem ser várias, porém, de acordo com médicos e psicólogos, um dos principais motivos do problema costuma estar relacionado ao estresse e a ansiedade.

A falta crônica de sono abre brechas para outros possíveis problemas de saúde, como doenças cardíacas, derrame e enfraquecimento do sistema imunológico. Portanto, não deixe de procurar ajuda de um profissional da área de saúde para entender como tratar o problema e recuperar suas noites de sono. Veja algumas dicas para uma enfrentar a insônia e ter uma noite de sono tranquila.

6. Picos de açúcar no sangue

Durante um momento de tensão ou ansiedade, nosso corpo libera hormônios de cortisol e epinefrina, o que faz com que o fígado produza mais glicose, ou açúcar no sangue, para dar ao indivíduo mais impulso e energia.

Depois que a emergência passa, geralmente o corpo simplesmente absorve esse açúcar extra no sangue. No entanto, de acordo com a Associação Americana de Psicologia, os repetidos aumentos no açúcar no sangue podem aumentar o risco para aqueles predispostos ao diabetes tipo 2 de contrair a doença.

7. Diminuição da imunidade

Como os recursos corporais ficam voltados para a necessidade de proteção imediata do corpo, o sistema imunológico pode ser temporariamente suprimido. Quando a ansiedade faz com que isso aconteça de novo e de novo, temos mais chances de pegar um vírus, como resfriados, e não conseguimos combater as infecções existentes da maneira mais eficaz.

8. Ganho de peso

É comum pessoas ansiosas desenvolverem compulsão alimentar. Os “alimentos de conforto”, como são chamados, liberam a sensação de serotonina, que podem trazer um alívio temporário, fazendo com que a pessoa volte repetidas vezes ao alimento, em busca de prazer. Mas com o tempo, as calorias causadas pelo estresse crônico se somam e, para piorar as coisas, o cortisol pode estar associado um aumento no armazenamento de gorduras no corpo.

9. Tensão muscular crônica

Os músculos ficam tensos ao primeiro sinal de ameaça, porque nosso corpo está reunindo forças para responder rapidamente a situação, seja para atacar, nos proteger ou fugir. Quando estamos ansiosos, nossos músculos nunca têm a chance de relaxar completamente e permanecemos rígidos o tempo todo. Dores de cabeça e enxaqueca também são comuns em pessoas ansiosas, devido a pressão que fazem com a mandíbula muitas vezes sem nem perceber.

Gostou do conteúdo e quer ler mais sobre Dicas Para Saúde Mental ? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você !

Fonte: https://www.talkspace.com/blog/2018/05/ways-anxiety-impacts-your-physical-health/

Você é ansioso(a)? Isso pode ser uma vantagem! Entenda

Considerada o mal do século, a ansiedade atrapalha a rotina de milhares de pessoas, todos os dias. Ela impacta na forma como tomamos decisões, nossa forma de agir, além de causar sensações físicas muito desconfortáveis.

Porém, você sabia que a ansiedade pode ser uma ferramenta bastante útil se você souber como utilizá-la? Muitas características desse sentimento podem virar boas qualidades se forem canalizadas da forma correta. Abaixo estão alguns hábitos comuns de pessoas ansiosas e como você pode encontrar forças secretas dentro desses comportamentos.

Você está constantemente pensando no que poderia dar errado

Se você tem um transtorno de ansiedade, você provavelmente está familiarizado com os intermináveis pensamentos que passam pela sua cabeça. É como se o seu cérebro catalogasse tudo o que pode dar errado em todas as situações possíveis. Muitas pessoas com ansiedade sentem que têm pouco controle sobre esses tipos de pensamentos – o que pode ser totalmente exaustivo.

  • Benefício Surpreendente de Preocupação

Embora a preocupação excessiva possa impedi-lo de experimentar novas oportunidades, ter algum nível de estado de alerta sobre potenciais perigos tem seus benefícios. Pesquisadores descobriram que pessoas com ansiedade são realmente melhores em responder a ameaças do que pessoas que não sentem ansiedade, já que seus cérebros processam ameaças com mais eficiência. Isso tem efeitos positivos: como um estudo mostrou, pessoas que têm ansiedade realmente evitam acidentes fatais mais do que pessoas sem ansiedade.

  • Como usar a ansiedade de forma positiva:

Sempre que se preocupar com o que poderia dar errado, lembre-se que você é mais capaz de lidar com ameaças do que outras pessoas. Pense em uma ocasião em que tudo deu errado e você teve a capacidade de lidar com isso. Mesmo que as coisas não saiam do jeito que você gostaria, você pode lidar com isso – talvez até melhor do que pessoas não ansiosas.

Você se preocupa com o que as outras pessoas pensam sobre você

Se você é uma pessoa que sofre com ansiedade social, situações sociais normais, como reuniões ou festas, podem ser super intimidantes. Você pode acabar se preocupando demais com a forma na qual as outras pessoas o percebem ou se preocupar em fazer papel de bobo na frente de todos. Esses medos são imprecisos – a realidade é que você está indo bem! Mas a ansiedade pode até impedir que você aproveite o tempo social com os outros, tendendo a se isolar para evitar sentir-se assim.

  • Benefício Surpreendente da Ansiedade Social

Embora se preocupar tanto com o que as pessoas pensam sobre você possa ser desgastante, isso não deve impedi-lo de realizar suas atividades diárias. Há também benefícios em ser altamente sensível. Pesquisadores descobriram que as pessoas com ansiedade social são mais empáticas do que as que não têm, e têm maior capacidade de compreender as emoções das outras pessoas.

  • Como usar a ansiedade de forma positiva:

Lembre-se de que a sua empatia faz com que você saiba lidar com outras pessoas de forma positiva, em vez de achar que você não faz isso bem. Direcione essas habilidades empáticas para construir relacionamentos saudáveis ​​e atenciosos com as pessoas ao seu redor. Use isso para lembrar seus entes queridos de que você se importa.

Você fica ruminando seus pensamentos

Seus pensamentos giram em torno dos mesmos tópicos e você não consegue sair do alcance deles? Esse é um padrão de pensamento característico de pessoas ansiosas, em que vários pensamentos se repetem constantemente e chama-se ruminação. Isso pode fazer com que as pessoas que sofrem se sentam presas em suas próprias mentes. No entanto, também é um sinal de profundidade de pensamento e, quando canalizado corretamente, pode ser uma qualidade útil.

  • Benefício Surpreendente da Ruminação

Vários estudos mostraram que pessoas ansiosas tendem a ser mais inteligentes do que pessoas sem ansiedade. A ruminação pode ser frustrante para a experiência, mas também está correlacionada com a alta inteligência verbal. De fato, muitos escritores e intelectuais famosos lutaram com ansiedade – e, ei, você poderia ser um deles!

  • Como usar a ansiedade de forma positiva:

Pense nas situações que te levam a ter esse comportamento. Use essa inteligência verbal alta para manter um diário observando seus próprios pensamentos e comportamentos, a fim de entender o causa a ruminação. E, em vez de usar essas habilidades verbais apenas para lidar com preocupações, por que não tentar usá-las em um projeto criativo?

Veja o lado positivo das situações

Ser ansioso pode parecer algo muito ruim, principalmente quando o medo te impede de tomar atitudes. Porém, criticar-se por sua ansiedade só piora as coisas. Então, da próxima vez que você começar a se repreender por estar ansioso, lembre-se de que ter ansiedade não faz de você inferior a ninguém – na verdade, muito pelo contrário.

Isso significa que você é inteligente, empático, detalhista e responde bem à crise. Reconhecendo as coisas boas que sua ansiedade revela sobre você e buscando um terapeuta para ajudar a mudar o resto do que o impede de agir, você será cada vez mais capaz de abraçar o momento – e a si mesmo.

Fonte: https://www.talkspace.com/blog/2018/04/uBenefício Surpreendente de Preocupação

Abuso ou agressão verbal ou apenas uma briga comum? Entenda a diferença entre os dois casos

O abuso ou agressão verbal vai além de gritos ou de uma forma grosseira de falar e por isso pode ser difícil de identifica-lo. Para te ajudar a entender as diferenças entre os dois casos, clique e confira no Blog do FalaFreud algumas maneiras de diferenciar uma relação abusiva de uma briga comum.

Entenda a diferença entre abuso ou agressão verbal e uma briga comum e identifique qual é o seu caso

Brigas acontecem em qualquer relacionamento e não há nada de anormal nisso. Porém, se durante um conflito, houver insultos, xingamentos e humilhação, isto pode caracterizar uma relação com abuso ou agressão verbal.

O abuso ou agressão verbal vai além de gritos ou de uma forma grosseira de falar e por isso pode ser difícil de identifica-lo. Para te ajudar a entender as diferenças entre os dois casos, preparamos algumas maneiras de diferenciar uma relação abusiva de uma briga comum.

Mas afinal, o que é abuso verbal?

Abuso ou agressão verbal, como o nome já diz, é o uso de palavras para controlar e ferir alguém. Alguns tipos de abuso verbal são mais evidentes, como o uso de palavrões ou gritos, mas muitas das atitudes são escondidas, e, portanto, menos reconhecíveis. Mas então como diferenciar o que é ou não normal?

Veja como saber se os comentários do seu parceiro são parte de um argumento saudável ou verbalmente abusivo.

  •  Os argumentos são indesejados. Não se trata de uma conversa saudável, mas sim um ataque
  •  Um dos parceiros usa a linguagem para dominar o outro
  • Os comentários são prejudiciais e destinam-se a prejudicar a auto-estima, a confiança ou o senso de realidade da vítima.
  • São contínuos, isto é, os abusos verbais são muito frequentes.

Formas de abuso ou agressão verbal

É importante lembrar antes de tudo, que não existe uma fórmula específica para descobrir se algo é abusivo. Mas todos nós temos aquela voz interna que nos diz quando algo não parece certo. Escute esta voz interior! Se o comportamento do seu parceiro se encaixa em qualquer um dos padrões abaixo, as brigas podem não ser apenas um conflito “normal”.

Manipulação psicológica

Conhecida como Gaslighting, esta é uma forma de manipulação psicológica na qual o abusador distorce as informações ou as inventa para manipular a vítima, que acaba duvidando de sua própria percepção e sanidade. Nesses casos, o agressor pode fazer com que a vítima duvide de coisas que de fato aconteceram, alegando que aquilo nunca aconteceu.

  1. Ameaças e intimidação

As ameaças e intimidações podem ser mais fáceis de serem percebidas e a vítima deve ficar muito atenta a este tipo de comportamento do parceiro.

Se seu parceiro ameaçar você com violência física, humilhação pública (Exemplo: “Eu direi a todos que você fez tal coisa”), ou ameaçar machucar pessoas ao seu redor, é hora de procurar ajuda. Ameaças emocionais podem ser igualmente prejudiciais.

  1. Destruição da autoestima

É comum em casos de abusos verbais, que o abusador tente acabar com a autoestima da vítima. Ex.: O agressor pode dizer que a vítima só recebeu uma promoção no trabalho porque o chefe a acha bonita ou falar que tudo que ela faz está errado. Eles podem ainda banalizar os sentimentos da pessoa, chamando-a de “muito sensíveis” ou dizendo que ela está exagerando.

Não tenha vergonha de pedir ajuda

Se você se identificou com alguns dos tópicos acima e vive isso de alguma forma na sua relação, não tenha medo de pedir ajuda. Um terapeuta poderá te dar força e motivação para enfrentar essa situação.

Lembre-se, todo mundo merece ser respeitado e valorizado pelo que é, e se de alguma forma seu parceiro está sendo desrespeitoso com você ou está tentando te colocar para baixo, é hora de sair desta relação.

Fonte: https://www.talkspace.com/blog/2018/03/is-it-a-normal-fight-or-verbal-abuse-heres-how-to-tell/#more-9220

Gostou deste conteúdo e quer ler mais sobre DiagnósticosDicas Para Saúde Mental, RelacionamentosTerapia ? Acesse o Blog do FalaFreud e leia nosso conteúdo feito por nossos especialistas para você !