Teste: você sabe identificar a depressão e seus sintomas?

Uma doença que vai muito além da tristeza profunda e causa tanto sintomas físicos como psicológicos. Essa é a depressão, conhecida como o mal do século 21 e que se tornou uma questão de saúde pública nos últimos anos.

O transtorno mental afeta o humor do indivíduo e o modo como as pessoas se sentem, pensam ou agem diante de inúmeras situações. E nem sempre é fácil reconhecer quem sofre com essa condição. 

Mesmo assim, o ideal é que esse assunto tenha uma abordagem adequada e seja discutido frequentemente, não só dentro dos núcleos familiares como nos espaços públicos. Exemplos: instituições de ensino, nas empresas, unidades básicas de saúde, entre outras opções.

Teste para identificar sintomas

Antes de iniciar o teste, um aviso importante: este método serve apenas como um indicativo, pois ele não substitui a avaliação médica. Por isso, tenha em mente que é fundamental procurar o profissional indicado para tratar essa doença.

Para auxiliar no teste, você deve associar essas frases com cada tipo de sintoma:

  • Nenhuma vez
  • Dois ou três dias
  • Mais da metade dos dias
  • Praticamente todos os dias

Com que frequência você se sentiu mal por alguns destes problemas?​

  1. Apetite reduzido ou exagerado.
  2. Se sentir mal, por achar que fracassou ou desapontou os seus familiares e amigos.
  3. Problemas de concentração para realizar atividades básicas do dia a dia, como ler notícias ou ver televisão, por exemplo.
  4. Ficar para baixo, depressivo ou sem esperança.

O que você deve observar?

Algumas das situações acima se encaixam no que você sente ultimamente? De acordo com as orientações do Manual de Diagnósticos de Transtornos Mentais (DSM V), ainda precisam ser avaliados outros fatores importantes.

Os mais comuns são o humor deprimido e a perda de interesse ou prazer para fazer as coisas. No entanto, o indivíduo com depressão pode apresentar, normalmente, pelo menos de três a quatro dos sintomas listados abaixo:

  • Perda ou ganho de peso sem estar em dieta;
  • Aumento ou diminuição de apetite;
  • Indecisão ou capacidade diminuída de pensar;
  • Insônia ou excesso de sono;
  • Agitação ou lentificação;
  • Fadiga e perda de energia;
  • Pensamentos de morte recorrentes;
  • Tentativa ou planejamento de suicídio.

Quais são os principais tipos de depressão?

  • Depressão mista: mistura dos sinais depressivos com uma ansiedade intensa. Sintomas como euforia são muito comuns aqui;
  • Depressão melancólica: ideia constante de morrer, inatividade e tédio ficam fortes;
  • Depressão distímica: o estado crônico deixa a pessoa extremamente pessimista e rabugenta. Geralmente, o indivíduo sente uma melancolia leve que não melhora nunca;
  • Depressão psicótica: alucinações e delírios são comuns nesse tipo. Muitos enxergam coisas inexistentes e ouvem vozes dentro da própria cabeça;
  • Depressão maior: uma das mais famosas, seus sintomas são tristeza excessiva, perda de prazer, baixa autoestima e distúrbios de sono;
  • Depressão sazonal: ela aparece em algumas épocas do ano, principalmente em países do Hemisfério Norte, como no outono e inverno;
  • Depressão atípica: aumento do apetite, ganho de peso, sonolência exagerada, sensação de cansaço nos braços e nas pernas.

Como você pode tratar a doença?

A recomendação básica é procurar pela ajuda de um profissional adequado, neste caso, um psicólogo. Ele que dará todo o apoio e suporte necessário para o paciente lidar com a situação. Além disso, dependendo de cada caso, o psicólogo também consegue indicar a pessoa para outros tipos de médicos.

Vale ressaltar que atualmente existem várias maneiras de tratar a depressão. Uma delas é a terapia online em que paciente pode realizar sua consulta sem sair de casa e na hora que desejar. Portanto, se você se identificou com os sintomas do teste ou conhece alguém que também tem, converse com um psicólogo e inicie o tratamento o quanto antes.

Fluoxetina: conheça sua função e efeitos colaterais

Na categoria de antidepressivos existe um medicamento chamado fluoxetina, mais conhecido pelo nome de “pílula da felicidade”. Produzido pelo laboratório Eli Lilly, ele chegou ao mercado em 1986. Desde então tem sido recomendado para diversos tratamentos.

Mas será que você realmente sabe qual é a sua função e as principais contraindicações? É sobre isso que discutiremos logo a seguir:

Qual a função básica do medicamento?

A fluoxetina tem como objetivo agir no cérebro do paciente, o que aumenta os níveis de serotonina. Isso possibilita a regulação do bem-estar, sono, apetite, humor, concentração, dentre outros fatores.

Vale dizer que o remédio atua principalmente em transtornos que provocam o desequilíbrio na produção de serotonina. Entretanto, para que o medicamento tenha o efeito esperado, precisa ser usado diariamente e os resultados se tornam evidentes a partir de duas a seis semanas.

Ele é tradicionalmente administrado em gotas ou comprimidos, além de ser indicado no tratamento para:

Existem efeitos colaterais?

Devido à alteração nos níveis da serotonina, os efeitos colaterais podem surgir nas duas primeiras semanas de uso. Mas é importante citar que esses sintomas são resultados da adaptação pela qual o organismo está passando, o que varia de pessoa para pessoa.

Veja abaixo algumas dessas ocorrências:

  • Irritabilidade;
  • Tremores;
  • Retardo na ejaculação;
  • Dor de estômago;
  • Náusea;
  • Fraqueza;
  • Sonolência;
  • Insônia;
  • Dor de cabeça;
  • Ansiedade;
  • Impotência sexual;
  • Agitação;
  • Perda de apetite;
  • Diarreia;
  • Redução da libido;
  • Nervosismo.

A fluoxetina não é indicada para qual público?

Apesar de oferecer efeitos positivos para alguns públicos, o consumo da fluoxetina só é autorizado por meio de orientação médica precisa. Então se você tem menos de 18 anos, é lactante ou está grávida, deve ter uma recomendação específica antes.

Dentre os casos mais comuns, o remédio não pode ser consumido em quadros de:

  • Diabetes;
  • Arritmia;
  • Cirrose;
  • Doença renal;
  • Crianças com menos de sete anos;
  • Mulheres grávidas ou amamentando (salvo com orientação médica específica);
  • Histórico de convulsões ou epilepsia;
  • Elevada pressão intraocular ou que tenham risco de glaucoma de ângulo estreito agudo.

Ajuda na perda de peso?

Sim. É possível emagrecer com a fluoxetina, porém ela não foi criada para esta finalidade. Mas por causa do controle de ansiedade que o medicamento promove, isso pode ocorrer.

Portanto, não o compre com a intenção de utilizá-lo para esse fim. Inclusive, se consumida de forma equivocada, a fluoxetina pode causar o famoso efeito sanfona ou até mesmo o contrário: engordar.

Avaliação profissional

Como foi dito, o medicamento é recomendado depois de passar por uma criteriosa avaliação médica. Independente do tratamento que o paciente esteja passando, vale destacar que o método pode ser alinhado junto com um tratamento psicológico.

Ao combinar os medicamentos corretos com uma terapia online, por exemplo, você consegue obter resultados mais satisfatórios em relação à sua saúde física e mental. Ter equilíbrio e uma boa qualidade de vida é possível, desde que o paciente possa balancear esses dois lados.

Conheça os sinais de depressão pós-parto

Muitas mulheres após terem um bebê passam por um período de imensa tristeza, que pode ocorrer depois de uma semana ou até mesmo de um ano do nascimento do filho. Esse problema é mais comum do que muitos imaginam e se chama depressão pós-parto.

Essa condição faz com que a pessoa ao invés de sentir uma imensa felicidade por acabar de acompanhar o nascimento do filho, não tenha forças para realizar o papel materno e também provoca sensações de tristeza, dúvida e medo para a mulher que acabou de se tornar mãe.

Você conhece alguém que se tornou mãe recentemente e está passando por essa situação? Conheça os sinais da depressão pós-parto e descubra se essa pessoa se encontra nessa condição.

Continue lendo “Conheça os sinais de depressão pós-parto”

Saiba como lidar com o luto

O sentimento de luto é gerado quando ocorre a perda de uma pessoa muito significativa na vida de alguém. Essa sensação pode levar à um estado de revolta, tristeza e desamparo, abalando a vida do indivíduo que se encontra em um momento de dor devido ao falecimento de um ente querido.

Muitas vezes as pessoas tentam ajudar o indivíduo que se encontra em estado de luto, mas não sabem ao certo o que deve ser feito. O recomendado é que em situações mais graves ele seja tratado com a ajuda de um terapeuta.

Para saber como lidar com o luto, separamos algumas informações que vão te ajudar a passar por esse momento triste ou acolher alguém que está passando por essa fase de angústia. Portanto, confira o artigo e saiba mais!

Continue lendo “Saiba como lidar com o luto”

Saiba como ajudar alguém com depressão

A depressão é um problema que afeta muitas pessoas e por isso, é provável que alguém muito próximo da gente esteja sofrendo com esse distúrbio. Mas você sabe como lidar com um amigo que está depressivo? Isso pode não ser uma tarefa fácil, mas seguindo as nossas dicas é possível ajudá-lo.

Se você deseja ajudar um amigo ou um familiar próximo que está com depressão mas não sabe como fazer isso, continue lendo este post, pois explicaremos como lidar com pessoas depressivas. Confira e saiba mais!

Continue lendo “Saiba como ajudar alguém com depressão”

Whindersson Nunes e a depressão

O youtuber e comediante, Whindersson Nunes, declarou em sua conta do twitter que tem se sentido triste e angustiado há bastante tempo, e por conta disso os seus fãs iniciaram um extenso debate sobre depressão na plataforma.

Diante disso, é perceptível que a depressão pode atingir até mesmo as pessoas que trabalham com comédia, e aparentemente tem a vida perfeita, com bastante fama, sucesso e dinheiro.

Para entender melhor o que é depressão, e como tratar essa doença psicológica, confira a nossa matéria, pois explicamos tudo sobre o assunto.

Continue lendo “Whindersson Nunes e a depressão”