Estresse e ansiedade: mais perto da gastrite nervosa

Nosso estado emocional afeta nosso organismo de formas diferentes, cada pessoa sente as mudanças de uma maneira e os sintomas nem sempre são visíveis, podendo afetar nosso corpo e nossa mente. 

Um exemplo disso é a gastrite nervosa, que é uma resposta do nosso sistema digestivo ao estresse. Também chamada de dispepsia funcional, ela manifesta sintomas idênticos ao da gastrite convencional, mesmo sem apresentar inflamação no estômago. 

Sendo assim, devemos entender que quadros de estresse e ansiedade não só influenciam nossa psique, mas tem impacto direto no nosso corpo. Essa doença deve ser diagnosticada e tratada para não progredir para casos mais graves, como a gastrite crônica. 

Sintomas 

Nosso cérebro e nosso trato gastrointestinal se comunicam constantemente. Podemos provar isso ao lembrarmos de como nosso organismo reage a situações de nervosismo, algumas pessoas sentem frio na barriga, outras ficam horas no banheiro e algumas sentem até náuseas. 

A gastrite nervosa pode ser um problema estomacal, mas quando nossa saúde mental não está bem, esse pode ser o problema. Quando são os fatores emocionais que aumentam a produção de ácido do nosso estômago, podemos constatar alguns sintomas, que são:

  • Dores agudas no estômago;
  • Sensação de queimação e estufamento;
  • Nauseas e vomitos;
  • Gases;
  • Diarréia e etc..

Mas como essa gastrite está relacionada a fatores psicológicos de ansiedade e estresse outros sintomas também podem se fazer presentes. Entre eles estão:

  • Dor de cabeça;
  • Dificuldade de concentração;
  • Tensão muscular;
  • Dificuldade para dormir;
  • Tensão;
  • Mau humor frequente e etc..

Tratamento

Se você detectar algum desses sintomas procure um médico, pois só ele poderá te dar um diagnóstico preciso. Mesmo assim, algumas atitudes podem ser tomadas, tanto como forma de prevenção, como para ajudar no tratamento. 

  • Alimentação: Reduza o consumo de café, bebidas alcoólicas, açúcar em excesso e evite alimentos ácidos. Dê preferência para comidas menos industrializadas e agregue frutas, legumes e verduras em sua alimentação diária. 
  • Terapia: Tratar a mente pode ser a melhor saída para os casos de dispepsia funcional, pois um psicólogo pode te ajudar a aliviar os sintomas emocionais que são a causa do problema. Uma ótima opção é a terapia online, que tem maior flexibilidade de horários. 
  • Atividades: Realizar atividades que te ajudem a relaxar ou a liberar energia também podem ajudar, como yoga, acupuntura, caminhada, corrida e etc..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui