Como identificar os sintomas da ansiedade generalizada?

Você sabia que a ansiedade é uma reação normal de todo ser humano? Diante situações que podem gerar dúvidas, expectativas e medo, ela pode aparecer. O problema começa quando esse sentimento persiste por longos períodos de tempo e interfere na rotina da pessoa.

A partir desse momento, ela deixa de ser apenas algo natural e se torna um distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva. Chamado de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), essa condição passa a ser motivo de preocupação. 

Portanto, quanto mais cedo identificar os fatores e sintomas, é melhor para o indivíduo. Acompanhe o texto logo abaixo e veja mais detalhes sobre o transtorno:

Quais os principais sintomas?

A ansiedade generalizada permite que a pessoa sinta uma constante tensão ou preocupação. No entanto, isso acontece mesmo quando há poucos ou nenhum motivo para essa situação. 

Vale ressaltar que esses fatores podem se estender em questões familiares, relacionadas ao trabalho, à saúde, relacionamentos amorosos ou de várias outras origens. 

O que prejudica é que muitas vezes elas entendem que esse medo é irracional. Mas, ao mesmo tempo, não conseguem controlar as reações e os sintomas que podem ser:

  • Problemas para dormir, sendo que o sono é raramente satisfatório;
  • Inquietação, geralmente ficando assustado com muita facilidade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Fadiga;
  • Irritabilidade;
  • Tensão muscular, incluindo tremedeira, dores de cabeça;
  • Problemas de estômago, como náusea ou diarreia.

Fatores de risco da ansiedade generalizada

Apesar dos sintomas citados acima, a ansiedade generalizada ainda conta com alguns fatores de risco. Eles conseguem aumentar as chances do indivíduo desenvolver esse transtorno. Veja quais são os principais:

Gênero

O público feminino é o mais prejudicado por esse distúrbio. Mais do que o dobro do número de casos de transtorno de ansiedade generalizada ocorre em mulheres. O que pode levar a essa contestação são: mudanças hormonais e maior exposição ao estresse.

Trauma na infância

Se a pessoa chegou a sofrer qualquer tipo de abuso ou passou por um trauma, o risco é maior de ter a ansiedade generalizada em algum momento da vida.

Abuso de substâncias

O uso excessivo de drogas ou álcool prejudica o bem-estar da pessoa na maioria das situações. Aqui não é diferente. Além disso, a cafeína e a nicotina, presentes no cigarro, também aumentam a ansiedade e conduzem o indivíduo a essa doença.

O que fazer?

Como já foi dito, não há nada de errado em sentir ansiedade de vez em quando. O perigo é quando ela foge do controle. Diante disso, é fundamental marcar uma consulta para tratar os sintomas, principalmente quando:

  • Existe uma preocupação extrema, chegando ao ponto de interferir no trabalho e em questões pessoais;
  • Sintomas de depressão, alcoolismo ou dependência química;
  • Pensamentos suicidas.

O indicado é buscar uma ajuda psicológica porque ela oferece todo o suporte para tratar esse distúrbio e proporcionar uma boa qualidade de vida para o paciente. Para quem prefere não sair de casa e iniciar o tratamento no conforto do lar, pode também optar pela terapia online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui