4 diferenças entre o ataque de pânico e o ataque cardíaco

Pessoas que já tiveram crise de ansiedade e de pânico mencionam que muitas vezes a sensação dessas crises são parecidas com os sintomas de ataque cardíaco. Problemas de respiração, náusea, dor no peito, transpiração excessiva podem causar mais pânico, justamente por conta da confusão de sintomas. 

Nessa matéria iremos explicar como reconhecer um ataque de pânico e um ataque cardíaco, assim, caso aconteça alguma coisa, você consegue identificar as diferenças entre esses problemas. 

Como identificar o ataque cardíaco 

O ataque cardíaco se manifesta pela interrupção do fluxo de sangue necessário para que o coração funcione de forma correta e quando isso acontece os sintomas surgem de forma mais aguda. Os sintomas são:

  • Dor no peito em forma de aperto, que pode irradiar para o pescoço, nuca, braço esquerdo e estômago;
  • Desmaio;
  • Falta de ar;
  • Enjoo e vômitos, entre outros.

Como identificar um ataque de pânico

Ataques de pânico podem acontecer em situações mais comuns do que as pessoas imaginam. Essa condição leva muitas pessoas a procurarem prontos socorros e receberem indicações de exames que não são necessários para esse estado específico. Os sintomas podem ser facilmente confundidos com outras doenças, mas os principais são:

  • Taquicardia;
  • Sensação de quase desmaio;
  • Dor no peito;
  • Dores abdominais; 
  • Tremores;
  • Falta de ar, entre outros.

Principais diferenças entre eles 

Apesar dos sintomas serem muito parecidos é possível identificar algumas diferenças que podem ajudar no diagnóstico inicial dessas condições, são elas:

Manifestações de humor

Geralmente que tem síndrome do pânico pode apresentar manifestações de humor, anteriores ao episódio da crise, que caracterizam essa condição. Medo agudo de forma recorrente, sinais de depressão e quadros de ansiedade podem ser um grande indicativo de síndrome do pânico.

Tempo em que os sintomas se apresentam 

Uma grande diferença entre a síndrome do pânico e o ataque cardíaco é o tempo em que os sintomas alcançam seu ponto máximo. No ataque cardíaco eles são crescentes e podem ir piorando gradativamente, por várias horas. Já a crise de um ataque de pânico alcança, geralmente. seu ponto máximo entre 10 e 20 minutos. Em casos específicos podem durar até duas horas. 

Sensação de irrealidade – Despersonalização

Durante a crise de pânico é comum a impressão de irrealidade, como se a pessoa não estivesse de fato ali. Sensação de desconexão do corpo, mente e sentimentos ou uma distorção subjetiva do mundo, podem aparecer em situação de síndrome do pânico; 

Grupo de risco

Quem desenvolve ataques cardíacos podem fazer parte de um grupo de risco, que pode ou não se enquadrar em pessoas que desenvolvem a síndrome do pânico. Então é importante analisar esses fatores para que você possa excluir essa possibilidade. 

Quando o indivíduo não possui o diagnóstico de ataque de pânico é necessário ficar atento aos sintomas e se caso alguma crise acontecer procurar imediatamente um médico. Diagnóstico de pânico deve ser considerado diagnóstico de exclusão quando não identificado anteriormente, por isso, em casos de dúvida procure um médico. 

Se você já foi diagnosticado com crises de pânico ou ansiedade, a terapia e acompanhamento psicológico são os mais indicados. Uma boa alternativa é a terapia online, pois ela pode, em momentos críticos, ser de grande ajuda e é claro, se adaptar a sua rotina. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui