6 dicas para se tornar mais resiliente

Lidar com problemas, resistir a pressões e situações de estresse ou choque traumático sem entrar em surto emocional, psíquico ou físico são atitudes de pessoas resilientes. 

Algumas pessoas têm essa capacidade mais aflorada, mas isso não significa que não podemos adquirir essa habilidade. Praticando algumas ações podemos começar a ter mais resiliência, e são essas dicas que trazemos nesta matéria.

Continue lendo “6 dicas para se tornar mais resiliente”

5 ações que podem ajudar no tratamento da depressão

A depressão é uma doença grave e que está presente em grande parte da população mundial. Segundo a OMS, ela aparece em pelo menos algum momento da vida de 20% das mulheres e 12% dos homens. Ela pode estar associada a fatores genéticos, cerebrais ou aparecer em decorrência de eventos da vida. 

Mas, apesar de difícil, podemos tomar algumas atitudes a fim de evitar ou de construir uma rede de apoio para passar por essa doença tão difícil. Nessa matéria vamos mostrar 5 atitudes que podem te ajudar durante seu tratamento. 

Continue lendo “5 ações que podem ajudar no tratamento da depressão”

Dia Mundial da Saúde Mental

Em 1992 o dia 10 de Outubro foi estabelecido como o Dia Mundial da Saúde Mental, para que esse assunto seja discutido e normalizado. Transtornos mentais são doenças como quaisquer outras e, por isso, devem ser tratadas a fim de amenizá-las e até curá-las.

Para saber mais sobre a importância da saúde mental, dos seus possíveis transtornos e tratamento, continue lendo nossa matéria. 

Transtornos mentais sempre estiveram presentes ao longo da história da humanidade e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), devem ser considerados prioridade. Essa condição interfere diretamente na vida daqueles que a tem e das pessoas que o cercam, por isso, é tão importante o canal de debate sobre as questões ligadas a isso. 

Pessoas de qualquer idade podem apresentar transtornos mentais, mas é mais comum que eles comecem a aparecer durante a juventude, principalmente os mais graves como transtorno bipolar ou esquizofrenia. 

No Brasil

No Brasil os casos de indivíduos com depressão e transtorno de ansiedade são preocupantes, ainda segundo a OMS, cerca de 5,8% dos brasileiros sofrem de depressão e 9,3% sofrem de ansiedade. Isso contabiliza, respectivamente cerca de 12 milhões de pessoas com depressão e cerca de 19,4 milhões com ansiedade

Ao menosprezar as doenças psiquiátricas estamos colocando em risco vida e a qualidade de vida dessas pessoas. No Brasil a terceira principal causa externa de mortes é o suicídio, que está diretamente ligada a condições psicológicas. Cerca de 12,5 mil casos foram confirmados em 2017. 

Tratamento

Buscar e indicar formas de tratamento é mais do que essencial quando falamos de saúde mental. Doenças da psique são doenças e devem ser tratadas como tais e não devem ser deixadas de lado. 

O desenvolvimento das doenças estão relacionadas com componentes genéticos, mas também podem aparecer por conta dos fatores estressantes do dia a dia. Por isso, devemos adotar hábitos que nos ajudem a manter uma vida mais equilibrada e menos estressante. 

O tratamento relacionado a saúde mental já deixou de ser tratado apenas com medicamentos há algum tempo, ele além do tratamento farmacológico deve ser feito por profissionais como psicólogos, terapeutas, assistentes sociais, enfermeiros e etc..

Outra coisa que está se desenvolvendo é o acesso a esses profissionais por meio da tecnologia. A terapia online é um nicho que vem crescendo e ganhando espaço na luta por uma saúde mental acessível a todos. 

Independentemente da sua situação ou de pessoas próximas, se sua saúde mental está em risco procure um profissional, só ele poderá ajudar da forma correta.

Luto: saiba como lidar com a morte e ausência

Perder entes queridos é um processo muito doloroso e pode gerar uma série de mudanças comportamentais para aqueles que lidam com o luto. Cada pessoa passa por um processo muito individual ao lidar com a morte, mas se entendermos as fases que o processo pode ter, podemos aprender a lidar com esse sentimento. Nossa matéria de hoje vai mostrar quais os estágios do luto e como você pode se ajudar nessa fase. 

Continue lendo “Luto: saiba como lidar com a morte e ausência”

O filme Coringa e as condições da psique

Um dos vilões mais aclamados quando falamos de quadrinhos é o Coringa. Sua personalidade pode mostrar diversos indícios de transtorno de personalidade e isso veio à tona agora que o mais novo filme do personagem foi lançado. E tudo tomou proporções ainda maiores quando começaram rumores de que o protagonista afetava espectadores a seguirem seu comportamento. Vamos discutir mais sobre o assunto nesta matéria, continue lendo. 

Continue lendo “O filme Coringa e as condições da psique”

Terapia: o que podemos aprender sobre ela na televisão?

Informações sobre modos de terapia e sobre saúde mental tem aumentado nos últimos tempos e isso pode contribuir ou atrapalhar as pessoas que possuem alguma doença. 

Ultimamente muitas séries e novelas vem levantando o assunto da saúde mental. Mas tudo o que eles mostram é realmente verdade? Até que ponto a ficção se relaciona com a realidade? O quanto devemos nos basear na dramaturgia? Nessa matéria vamos explicar essa questão e outras mais. 

Continue lendo “Terapia: o que podemos aprender sobre ela na televisão?”

Câncer de mama e a psicologia

Ao descobrir uma doença grave, os processos que derivam desse acontecimento podem afetar a parte psicológica do indivíduo. Descobrir a doença, ter a confirmação de resultados de exames e as possíveis curas geram uma série de conflitos psicológicos e internos que devem ser tratados com acompanhamento psicológico. 

O diagnóstico do câncer de mama é uma dessas doenças que podem deixar marcas psicológicas e que, as mesmas, podem ser amenizadas ou evitadas com o apoio psíquico de um psicólogo. Para entender mais sobre esse assunto, continue lendo nossa matéria.   

Continue lendo “Câncer de mama e a psicologia”

Como identificar um comportamento suicida

Suicídio é um problema intrincado para o qual não existe uma única causa ou uma única razão. Ele resulta de uma complexa interação de fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociais, culturais e ambientais, por esse motivo, é difícil explicar por que algumas pessoas decidem cometer suicídio, enquanto outras em situações idênticas ou pior não o fazem. Entretanto a maioria dos suicídios podem ser prevenidos. 

As mortes por suicídio vêm crescendo nas últimas décadas, especialmente entre crianças e adolescentes. Dados do Ministério da Saúde mostram que, de 2000 a 2015, os suicídios aumentaram 65% entre pessoas com idade de 10 a 14 anos e 45% de 15 a 19 anos. Os dados são tão alarmantes que preocupam e, para abordar o assunto nada melhor que conversar sobre ele.

Continue lendo “Como identificar um comportamento suicida”

4 diferenças entre o ataque de pânico e o ataque cardíaco

Pessoas que já tiveram crise de ansiedade e de pânico mencionam que muitas vezes a sensação dessas crises são parecidas com os sintomas de ataque cardíaco. Problemas de respiração, náusea, dor no peito, transpiração excessiva podem causar mais pânico, justamente por conta da confusão de sintomas. 

Nessa matéria iremos explicar como reconhecer um ataque de pânico e um ataque cardíaco, assim, caso aconteça alguma coisa, você consegue identificar as diferenças entre esses problemas. 

Continue lendo “4 diferenças entre o ataque de pânico e o ataque cardíaco”

É recomendado fazer psicoterapia infantil?

Você sabia que o ato de ir ao psicólogo não deve se restringir apenas aos adultos e adolescentes? Essa ação também precisa ser praticada pelas crianças e incentivada pelos pais e/ou responsáveis.

E quando falamos desse período da vida, é sempre bom lembrar que ser criança é mergulhar num mundo cheio de descobertas. Além disso, ela está num processo de transformação e, por isso, em cada fase da vida do ser humano é importante ter cuidados específicos, ainda mais quando a pessoa se encontra no estágio da infância.

Com as orientações apropriadas, a criança terá um grande auxílio impedindo que as próximas fases de sua vida sejam prejudicadas. Cuidar da saúde mental dos mais jovens se tornou uma questão fundamental atualmente. 

Portanto, com a psicoterapia, a pessoa consegue ter mais consciência a respeito de seus sentimentos e também em relação à sua construção como indivíduo na sociedade.

Conceito de psicoterapia infantil

De forma geral, a psicoterapia infantil é considerada como o cuidado e atenção à saúde mental da criança. E é nas sessões de terapia que a pessoa tem acesso a um espaço de acolhimento para compartilhar suas angústias, inseguranças, medos e um momento de intervenções com os próprios pais.

Para promover uma infância saudável, a psicoterapia infantil se utiliza da Ludoterapia para caminhar rumo ao bem-estar do espaço familiar que os jovens convivem, não se esquecendo também da prevenção e solução de conflitos.

Qual o objetivo principal?

Cada criança possui suas emoções e particularidade, sendo assim, o psicólogo tem como proposta a de auxiliar na expressão desses sentimentos. Através da brincadeira, por exemplo, ela será capaz de expandir e demonstrar diversas emoções:

  • Frustração;
  • Insegurança;
  • Agressividade;
  • Medo;
  • Espanto;
  • Confusão e re-significar os eventos traumatizantes.

Portanto, o terapeuta tem autonomia para agir como um facilitador, sendo responsável por identificar os conflitos e auxiliar na busca de melhores alternativas para lidar com eles. No entanto, o papel do psicólogo se volta para os pais dessa criança porque ele irá orientá-los a como intervir diante dessas vivências.

Como ela funciona?

Nas primeiras sessões, os pais devem estar presentes. Mais adiante, o terapeuta

realiza entrevistas iniciais para reunir informações sobre a história da criança e para conhecer a dinâmica da família em que a mesma está inserida. 

Com as informações necessárias, ele terá mais condições de compreender a queixa e avaliar os objetivos do trabalho. Já nas próximas sessões, a criança não vai precisar necessariamente do acompanhamento dos responsáveis.

Vale destacar que é através do brincar que a pessoa poderá expressar o seu mundo simbólico. Com a ajuda do psicólogo, encontrará recursos de enfrentamento para se posicionar diante de tudo que está em sua volta, mas desta vez, de forma saudável e sem prejuízos no seu dia a dia.

Por isso, se você percebeu que existe alguma criança da sua família que precisa desse tipo de acompanhamento, oriente os pais dela a procurarem uma terapia e iniciar o tratamento adequado.